Imagem: Tanjiro dando golpe com sua espada em um fundo bem trabalhado em uma imagem promocional de 'Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba'.

Mesmo com ‘Mugen Train’, bilheteria de animê teve queda em 2020 no Japão

Pandemia de COVID-19 é apontada como uma das principais causas de queda na bilheteria e produção de animações em 2020.

A Associação de Animações Japonesa (AJA) soltou informações preliminares sobre a indústria em 2020. A bilheteria de filmes animados foi de 61,7 bilhões de ienes (2,9 bilhões de reais), uma queda de 10,8% em relação à 2019, quando 69,2 bilhões de ienes foram acumulados.

Essa não é a maior queda vista recentemente: em 2017, a bilheteria caiu de 66,4 bilhões para 41,1, com leve crescimento em 2018 (42,6 bilhões). 2019 foi o ano com a maior bilheteria desde 2000, mas uma queda seria esperada devido à pandemia.

Apesar de Demon Slayer: Mugen Train ter batido recordes, a série é uma exceção no cenário geral. Muitas produções foram atrasadas e apenas 66 filmes estrearam no cinema. Em comparação, em 2019, foram 90 longas nas telonas.

Fica claro na hora de comparar os primeiros colocados: enquanto Kimetsu liderou as bilheterias mais de 30 bilhões de ienes durante 2020, Doraemon: Nobita no Shin Kyoryu acumulou 3,3 bilhões, sendo a segunda maior bilheteria entre os filmes de animê do ano.

Houve também queda no número de animações para TV (em minutos) em comparação a 2019: foram 98.448 minutos no último ano, enquanto em 2019 foram produzidos 105.294 minutos.

A maioria, 64,15%, eram produções novas para TV, enquanto 35,85% eram franquias contínuas. O primeiro teve um aumento de 2%, e o segundo, uma queda de 18,7%.Novamente, há efeito da pandemia na produção de séries, com diversos projetos atrasados e adiados para 2021.


Fonte: ANN e Animation Business

Publicidade
close