imagem: logo do Arquivo JBox ao lado de imagem do mangá Nausicaä

Arquivo JBox: Há 13 anos, Conrad integrava grupo IBEP e selava o destino dos mangás na editora

“Salvamento” da editora, no entanto, não garantiu a manutenção da maioria dos seus mangás.

Em 5 de fevereiro de 2009…

Imagem: Recorte de matéria de 2009 sobre a Conrad e IBEP… a Conrad, até então uma das pioneiras na publicação de mangás, anunciava a venda da editora para o grupo IBEP, o que viria a selar o destino dos quadrinhos lidos “de trás pra frente” publicados pela antiga casa de Dragon Ball no Brasil.

A notícia vinha a público por meio de um comunicado oficial da IBEP, comentado à época aqui no JBox, dada a preocupação clara com o rumo de séries como One PieceMonsterSanctuaryVagabondBattle RoyaleNausicaä.

Num primeiro momento, o anúncio foi visto com alguma esperança por parte dos leitores, que viam esfarelar a frequência com que os títulos da editora davam as caras nas bancas do país — os hiatos entre os volumes de suas séries foram se tornando cada vez mais longos.

Mas nem a venda para a IBEP/Companhia Editora Nacional, fundada pelo escritor Monteiro Lobato, foi suficiente para proporcionar o retorno imediato das atividades da Conrad em sua execução plena. O que não fora esclarecido àquela altura seria revelado anos mais tarde, com a consequente descontinuação de quase todos os mangás em andamento.

Curiosamente, em 12 de junho de 2010, a editora viria a público desmentir o cancelamento de uma série de mangás em andamento. Poucos dias antes, em 3 de junho do mesmo ano, a Conrad revelava ao Anime Pró que havia perdido os direitos de praticamente tudo o que ainda publicava. A lista continha:

  • Delivery Service of Corpse (3 edições foram lançadas no Brasil; o mangá é publicado no Japão até hoje e se encontra no 28º volume);
  • Megaman NT Warrior (3 edições das 13 publicadas no Japão, lançados aqui em 6 edições meio-tanko);
  • Monster (10 edições das 18 publicadas no Japão);
  • Neon Genesis Evangelion (20 edições, equivalente a todos os 10 tankobons lançados até o final de 2009 — a série terminou com 14 volumes);
  • Sanctuary (6 edições das 12 publicadas no Japão).

No comunicado do dia 12, a Conrad confirmava o fim do contrato das séries mencionadas, mas expressava ao público o desejo de continuar as publicações, dizendo inclusive estar em negociações com as licenciantes para a assinatura de novos contratos.

A renovação desses contratos não ocorreu e o número de cancelamentos foi se somando aos anos. Ao todo, foram 14 títulos cancelados:

  1. Bambi (4 de 6 volumes publicados, o último em 2009);
  2. Blade – A Lâmina do Imortal (19 de 30 volumes publicados, o último em 2007);
  3. Delivery Service of Corpse (3 de 28 volumes publicados, o último em 2008);
  4. Dr. Slump (7 de 18 volumes publicados, o último em 2003);
  5. Dragon Ball Ed. Definitiva (16 de 34 volumes publicados, o último em 2009);
  6. Gon (3 de 7 volumes publicados, o último em 2004);
  7. Megaman NT Warrior (3 de 13 volumes publicados, o último em 2006);
  8. Monster (10 de 18 volumes publicados, o último em 2008);
  9. Nausicaä (5 de 7 volumes publicados, o último em 2009);
  10. Neon Genesis Evangelion (10 de 14 volumes publicados, o último em 2009) e Neon Genesis Evangelion Ed. Definitiva (1 de 14 volumes publicados);
  11. One Piece (35 volumes publicados, atualmente o mangá está no 102º tomo);
  12. Ooru (3 de 5 volumes publicados, o último em 2008);
  13. Sanctuary (6 de 12 volumes publicados, o último em 2008);
  14. Vagabond e (22 volumes divididos em 44 meio-tankos) e Vagabond Ed. Definitiva (14 volumes, respectivamente; no Japão, a série tem atualmente 37 volumes).

Por fim a editora ainda conseguiu concluir Cavaleiros do Zodíaco: Episódio G (iniciado em 2004 e concluído em 2015, com 20 volumes) e Battle Royale (iniciado em 2006 e concluído em 2011), além de lançar, entre 2011 e 2016, uma nova coleção de Gen Pés Descalços, dessa vez a versão integral, completa em 10 volumes (a Conrad já havia publicado a versão reduzida, de 4 volumes, entre 1999 e 2001).

Após o término de Gen, a Conrad não retomou a publicação de mangás em território brasileiro. Com o retorno de Cassius Medauar na gerência das publicações, em 2020, a editora tem voltado a se fazer presente no mercado de quadrinhos, tendo lançado hqs de grande expressão, com autores como Miguelanxo Prado e Howard Cruse. Memórias de um Freixo, manhwá de Kun-woong Park, também faz parte da nova fase da editora.

Mas um retorno aos mangás parece pouco provável nesse momento, já que o vasto histórico de cancelamentos pesa muito contra a imagem da Conrad, além de que o próprio Cassius, em bate-papo com o JBox numa edição do JBox Cast, revelou não fazer parte dos planos da empresa — pelo menos para essa fase inicial de “reestruturação”.


Matéria original: Conrad: Fim da novela, por Fábio Soares (Tio Cloud)
Outros links: Conrad: Mais um capítulo da novela | Conrad confirma cancelamento de títulos | Conrad desmente cancelamento de mangás | Conrad oficializa o cancelamento de Nausicaä | O grande guia dos mangás cancelados no Brasil (Blog BBM)


Para que o JBox possa seguir criando notícias que futuramente servirão de material para um Arquivo JBox, torne-se um apoiador em nossa campanha no Apoia.se.

Publicidade
close