Artigo: Análise da Qualidade Gráfica da L&PM

“Por 15 reais, só papel branco não é o bastante!”

Li várias resenhas sobre Solanin e Aventuras de Menino da L&PM nesses últimos meses, elogiando os autores e obras escolhidas, a temática adulta, qualidade da folha e tudo mais. Mas, como sempre, notei que todos se prenderam aos elogios de conteúdo, mas ninguém ousou falar de qualidade editorial e faltou as puxadas de orelhas sobre o trabalho deles! E eles merecem várias delas!

Sabe, analisar o conteúdo do título é bem legal, analisar o autor e a arte dele, mas, além disso, quando se fala no review de um título por uma “editora” a qualidade da adaptação deve ser também analisada, isso inclue três lados: 1. impressão e qualidade física; 2. edição, design e preparação do material; e 3. tradução e revisão. No Brasil, infelizmente, tudo que se vê é cor de papel (quando se vê) e aceita-se qualquer coisa…

Eu sei que tem gente que vai reclamar que sou muito exigente, que para eles tá ótimo e tudo mais que você deve encontrar ali nos comentários. Minha intenção não é falir as editoras, juro por Deus, mas mostrar para eles que tem gente que vê as cagadas deles e que tem gente que se importa. E por 15 reais, só papel branco não é o bastante!

Só para não dizer que nunca elogio, é maravilhoso ver alguém tratando mangá como livro. Uma página com informação fácil de tradução, preparação, etc, nome original, data de impressão e todas aquelas informaçõeszinhas importantes. E, acho que pela primeira vez no Brasil, uma editora incluiu a página de data de publicações original!!! Quase todas as antologias japonesa possui isso e geralmente os brasileiros e americanos cortam fora.

Mas………………

Comecemos pelo formato. Por causa do “pocket” e do formato padrão da editora algumas páginas foram bem cortadas. Por sorte dos consumidores, a maioria das páginas de ambos os títulos deixam bordas grandes em volta, então só o branco foi cortado nas laterais. Por ser mais alto o formato da L&PM, branco “extra” de exatamente 1 cm foi adicionado no topo das páginas.

Entretando, aquelas páginas de começo de capítulo ou 100% preenchidas foram bem cortadas em todos os canto. Deem uma checada abaixo: as bordas escuras representam o que foi cortado na versão brasileira. Vale lembrar que essas imagens são do volume japonês e que existe a possibilidade de que já haviam sido cortadas anteriormente.

(Clique nas imagens para ver em tamanho maior.)

Como podem ver pelos meus exemplos acima, o volume  de “Aventuras de Menino” tem páginas coloridas. Cada capítulo possui 4 totalmente a cores e 4 em tons preto, branco e vermelho, mais 1 de índice; ou seja, 57 páginas especiais. É bem triste que tudo isso tenha virado preto e branco, mas é bem complicado esperar “só” 57 páginas coloridas…

Os poréns não terminam por aí, o indivíduo responsável pelas edições e reconstruções não possue nenhuma experiência com mangá (a julgar pelos erros cometidos), todos os padrões e imagens foram bem mal-feitas e até foi usado quadros brancos.

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Olhem essa imagem abaixo que tirei direto no site da L&PM editora. No primeiro, obviamente o original, é possível ver como é mais limpo e claro, além de ter um matinho ali. O segundo é o da L&PM, seguido de uma cópia onde marquei vários erros bem fáceis de identificar. O responsável não refez o desenho, ele apenas copiou vários pedaços e fez uma sujeira danada ali, a definição de “feito de qualquer jeito”.

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Infelizmente esse não é o único caso. Se você possui o volume de Aventuras de Menino, olhe a página 30, 63, 65, 67, 91, 113, 114, 119 e 196. Praticalmente todas as reconstruções que precisaram ser feitas (no máximo uma dúzia no mangá todo) foram mal-feitas. Me assusta a ideia da editora pegar um título com reconstruções para todos os lados.

Outro exemplo fantasticamente horroroso é a pag. 189 do volume 1 de Solanin, você enxerga em branco o contorno de todo o texto em japonês em meio ao padrão cinza escuro, é na cara-de-pau mesmo, nem tentaram reconstruir e aquilo ali é nível iniciante.

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Também, provavelmente por falta de conhecimento, alguns pedaços do original de Aventuras de menino não foram apagados na página 10 (acima). Ainda na página 122, 123 e 124 o tom que deveria ser branco dentro dos balões na verdade estão cinzentos, mas foram “limpos” com a cor branca. Dá pra ver a forma de bolas brancas dentro dos balões, além de várias manchas cinzas em volta, ou seja página com mal tratamento.

Em Solanin o mesmo acontece, embora aqui, tenha várias reconstruções bem-feitas e várias de fazer chorar com quadros brancos… Estranho, não? Existe uma grande possibilidade que já tenha vindo “limpo” do Japão e a equipe brasileira só tenha tido que limpar algumas coisas (isso é muito comum, diga-se de passagem).

Ainda em Solanin 2, a impressão ficou horrível, os quadros pretos tem tantas machinhas brancas que parecem um quadro de estrelas, mas o original era puro preto, juro. Isso acontece em todo o volume, nos cabelos, nos quadros, nos fundos pretos, é como se tivesse faltado tinta. Desconheço se todos os volume 2 estão assim, mas acho difícil que o meu seja o único.

O texto também não está sempre bem colocado, muitas vezes mal centralizado ou mal alinhado dentro do balão, alguns tocam as bordas dos balões e até saem um pouco. Também, muitos balões duplos do tipo “O… / O quarto continua o mesmo.” foram editados como sendo um só, o que dá uma impressão de faltando algo.

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Encontrei também legendas sobre as onomatopeias ou super mal colocadas. Inclusive, em Solanin 2, pag 6, um dos textos das páginas do fundo foi parar no meio do desenho; dê uma olhada por si mesmo a palavra “proibid” bem no meio da bateria…

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Fontes também não foram respeitadas, Aventuras de menino, por exemplo, possui menos de meia dúzia, mas tudo foi editado com uma só. Solanin possue mais, infelizmente igualmente ignorado.

(Clique na imagem para ver em tamanho maior.)

Não gostei muito também de como as onomatopeias ficaram numa fonte do mesmo tamanho ou maior que a dos balões, no meio de todo o desenho. Balões com onomatopeias às vezes não foram editados e, sim, legendados, ficando ainda mais sujo. Em Solanin as falinhas fora de balão e comentários do autor não foram apagados, apenas legendado, o que aumenta ainda mais a poluição na página.

Como podem ver, todos os defeitos acima envolvem edição e impressão. Eu estava preparada para dizer que não haviam esquecido de traduzir nada… Até notar no meu volume japonês que no final do capítulo 1 de Bouken Shounen o autor faz um comentário final que não foi traduzido, apenas apagado. Mas, acredito que esse tenho sido o único caso, espero…

Apesar dos diversos problemas em edição e impressão, a revisão e tradução parecem boas. Embora algumas onomatopeias e falinhas terem ficado bem adaptadas, mas “errado” não está.

Em conclusão, a editora poderia procurar um editor mais capacitado para a edição de mangás e ter um pouco mais de atenção com a colocação dos textos e tratamento de imagens. Talvez, quem sabe, alguém com experiência para dar aquela revisada final. *hint, hint* XD

Apesar de tudo acima, tenho esperança e fé na capacidade da editora de melhorar e continuar a trazer bons títulos para nós.

Publicidade
close