Imagem: Seiya em 'Awakening', da Tencent.

Cavaleiros do Zodíaco: ‘Saint Seiya Awakening’ foi um dos jogos de celular mais rentáveis no Brasil em 2020

Game é o único jogo ligado a cultura pop japonesa no top 10.

Segundo relatório do App Annie, o jogo de Cavaleiros do Zodíaco da empresa chinesa Tencent, chamado por aqui Saint Seiya Awakening: Knights of the Zodiac, foi um dos mais rentáveis no mercado brasileiro em 2020, ficando na 6ª posição. Confira os 10 jogos mais rentáveis do ano:

  1. Free Fire
  2. Roblox
  3. Call of Duty: Mobile
  4. Brawl Stars
  5. Lords Mobile
  6. Saint Seiya Awakening
  7. Gardenscapes: New Acres
  8. Coin Master
  9. PUBG Mobile
  10. 8 Ball Pool

Como é perceptível, esse é o único jogo ligado à cultura pop japonesa a entrar na lista, demonstrando ainda a força do fenômeno dos anos 1990 até hoje entre o público. Nem mesmo o gigante Pokémon GO conseguiu desta vez.

Imagem: Os Cavaleiros de Bronze e Atena em imagem promocional de CDZ Awakening.
Divulgação: Tencent.

Awakening reconta a história da série clássica (com algumas liberdades poéticas e arcos extras) e é o 5º título para celulares da franquia. O jogo foi lançado em 2018 na China e em 2019 por aqui.

A maior curiosidade desse game é que ele credita apenas a Kurumada Pro, não havendo envolvimento da Toei e, muito menos, da Bandai – um feito bastante raro.

No servidor chinês, o jogo está adicionando personagens da fase Next Dimension: o famoso cavaleiro de ouro de Serpentário já apareceu por lá e, agora, a deusa Artémis também está dando as caras. É a primeira vez que essa saga é adaptada para além dos quadrinhos (antes mesmo da Toei!).

Antes desse game, foram lançados Saint Seiya Cosmo Slottle (2014), Saint Seiya: Big Bang Cosmo (2014), Saint Seiya: Cosmo Fantasy/Saint Seiya: Zodiac Brave (2016) e Saint Seiya: Galaxy Spirits (2019).

Um sexto jogo, Saint Seiya: Shining Soldiers, pela Bandai Namco, saiu em 2020 para iOS e Android mas já foi encerrado. Nem todos os games tiveram lançamento no Brasil.

O jogo também saiu no Japão sob o nome Saint Seiya: Rising Cosmo. O elenco de vozes das versões chinesa e internacional, apesar de japonês, não é o oficial. Mas para o lançamento nipônico, a empresa redublou boa parte do jogo com as vozes oficiais atuais dos protagonistas e cavaleiros de ouro.


Fonte: Tecnoblog


Imagem: Os 5 Cavaleiros de Bronze no mangá.

Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) estrearam nas páginas da revista japonesa semanal Shonen Jump em dezembro de 1985. Com autoria de Masami Kurumada (Bt’X, Ring ni Kakeru), a trama rendeu uma versão animada em 1986 pela Toei Animation (Dragon Ball, Sailor Moon), patrocinada diretamente pela Bandai, marcando época com os bonecos derivados que vestiam armaduras de metal.

A história narra a saga de um grupo de jovens que protegem a Terra guiados por Saori Kido, a reencarnação da deusa Atena. Treinados desde crianças, órfãos de todos os cantos são recrutados para vestirem armaduras mitológicas, baseadas nas constelações.

Exibido no Brasil a partir de setembro de 1994 na extinta Rede Manchete, foi um fenômeno comercial que abriu porta para as animações japonesas no país. A série clássica foi reprisada anos depois pelo Cartoon NetworkBandPlay TV, e teve passagem recente em alta definição pela Rede Brasil de Televisão.

A Crunchyroll e a Netflix também disponibilizam a série por streaming, com dublagem. A obra ainda foi lançada por completo em DVD pela PlayArte, que posteriormente lançou uma versão em Blu-ray.

O mangá original foi publicado por aqui pela primeira vez no fim de 2000, pela Conrad Editora. Ganhou nova edição pela mesma empresa e depois pela Editora JBC, que publica atualmente uma edição de luxo, Cavaleiros do Zodíaco: Kanzenban.

Há 3 histórias extras (Episode ZeroOrigin e Destiny) publicadas pelo Kurumada entre 2017 e 2019 na revista Champion RED, detalhando eventos até então não aprofundados, como a fuga do Aiolos e a história de Saga e Kanon. Elas não estão, por enquanto,  compiladas em encadernados.

Saint Seiya gerou vários derivados entre animações e quadrinhos, sendo continuações ou spin-offs. Entre os mangás e novels, os títulos Gigantomaquia, Episódio G (todos da Conrad), Next Dimension , Lost Canvas e Saintia Shô (todos da JBC) foram publicados no Brasil.

Há ainda alguns inéditos no país, como as continuações da saga G: Episode G Assassin e Episode G Requiem; a novel Golden Age e o mangá isekai Dark Wing.

Entre os animês, Os Cavaleiros do Zodíaco: Hades (2002-2008), Saint Seiya: The Lost Canvas (2009), Os Cavaleiros do Zodíaco: Ômega (2012), Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro (2015) e Saintia Shô (2018, apenas legendado) também foram exibidos oficialmente por aqui. De todos, apenas Saintia Shô não saiu em formato home-vídeo no país.

Em janeiro de 2020, foi lançado o final da primeira temporada do remake produzido pela Netflix junto ao estúdio Toei Animation, intitulado de Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, mas popularmente conhecida pelo nome em inglês: Knights of the Zodiac.

Você pode conferir um pouco mais da história da série no Brasil no nosso TriviaBox.

Publicidade
close