Imagem: logo da extinta rede Manchete.

Rede Manchete é arrematada por meio milhão em leilão

Pela bagatela de meio milhão de reais, extinta emissora é adquirida. Mas não crie muitas esperanças…

Na última quinta-feira (14), foi a leilão a marca e o acervo da extinta Rede Manchete. O montante foi arrematado por R$500, 5 mil.

O leilão online foi realizado pela Faro Leilões e não foi revelada a identidade de quem comprou. O leilão estava divido em três lotes: a marca, o acervo de fitas de novelas e séries e o acervo com programas jornalísticos e infantis.

A marca estava avaliada em R$124,1 mil, mas teve lance final de R$200,5 mil. O acervo com novelas e séries tinha um valor estimado de R$626 mil, mas foi levado por “apenas” R$60 mil. E por fim, o acervo jornalístico e infantil estava estimado em R$3 milhões, mas acabou saindo por R$ 240 mil.

Não sabemos se o acervo infantil inclui algum título ou apenas os programas, o mais provável é que sejam apenas os programas.

Mas nem tudo é tão simples. Para pôr as mãos nas fitas, é preciso uma homologação da juíza Maria Rita Rebello Pinho Dias, da 3ª Vara de Recuperações Judiciais e Falências de São Paulo. Esse valor pago deve servir para pagar parte da dívida, que ultrapassa 115 milhões.

Vale ressaltar que mesmo com a compra dos programas infantis, não há garantia nenhuma de que animês e séries tokusatsu que passaram na emissora estejam incluídos. Tampouco se a emissora voltará ao ar.

A emissora foi ar entre 1983 e 1999, quando deu lugar à RedeTV!. No seu fim, já acumulava uma série dívidas e processos trabalhistas.

Não sabe ou não lembra o que passou por lá? Então não deixe de assistir os nossos Triviabox sobre os animês do canal antes e depois de Cavaleiros do Zodíaco:

ATUALIZAÇÃO/CORREÇÃO:

A matéria originalmente dizia que o dono teria que arcar com as dívidas da Manchete, mas esse foi um erro. A matéria da Exame não informa isso, apenas que o valor arrecadado será destinado para pagar dívidas da Manchete.

Atualizado pela última vez em 18 de outubro, às 15h46.

Fonte: Exame

Publicidade
close