Coluna do Daileon#67 | Alma Tokusatsu: Conheça o evento dedicado aos heróis japoneses

Leia também na edição de hoje: os 30 anos de ‘Jiraiya’ e ‘Lion Man’ no Brasil!

Saudações inca-venusianas! (Awika!) A edição de hoje está especial. Você vai conhecer o Alma Tokusatsu, um evento totalmente voltado para as séries e filmes que tanto gostamos e que papeamos aqui semanalmente. Hoje também vamos relembrar os 30 anos de dois grandes clássicos da saudosa Rede Manchete. E muitas novidades sobre tokusatsu com a volta dos Psycho Rangers, o surgimento de um novo Ultraman e muito mais. Tudo isso você confere a partir de agora na Coluna do Daileon! #Sextou! Vamo com tudo.


Feito com a alma!

Você já pensou num evento totalmente voltado para os heróis e monstros japoneses? Pois é, isso será realidade daqui a algumas semanas aqui no Brasil. São Paulo será palco do evento Alma Tokusatsu, que acontece logo mais em outubro. Convidei os organizadores Alex Rangel e a Narumi Tsuruta para falarem sobre o que você vai encontrar nesse espaço imperdível feito de fã para fã. Acompanhe!

JBox: Como surgiu a inspiração para a realização de um evento voltado apenas para o gênero tokusatsu? O nome tem alguma referência?

Alex Rangel: Bom, a inspiração em si vem dos nossos heróis mesmo. Identificamos que nosso seguimento estava e ainda está muito apagado no meio nerd e geek. Notamos que todo evento que acontece, tanto grandes e pequenos, o tokusatsu não ocupa nem 5% do espaço que realmente merece. Eu já tinha um sonho de dar essa moral para nossa categoria e quando eu e a Narumi conversamos, as ideias bateram e seguimos na tentativa de mover esse sonho para frente. A principio o evento se chamava Tokusatsu Spirit Festival, no objetivo de trazer o que acontece no Japão (festival com bandas somados aos heróis caracterizados no palco). A ideia foi amadurecendo e como lidamos com o amor profundo surgiu o nome ‘Alma’ para representar a essência real daquilo que amamos e queremos repassar e contagiar além de transformar o tokusatsu em um mercado vivo novamente.

JBox: A fanbase de tokusatsu no Brasil é dividida em pelo menos duas gerações. Uma que acompanhou os heróis da extinta Rede Manchete e outra que acompanha as novas séries das franquias Kamen Rider, Ultraman e Super Sentai. O evento será voltado para alguma época específica?

Alex Rangel: Na verdade o evento será uma junção de todas as eras com um cunho cultural, com palestras contando toda a historia desde 1954 com Godzilla até os dia atuais. Dividimos os dias em sábado (Kyodai Hero, Metal Hero, além de um tópico surpresa) e domingo (Kamen Riders e Sentais e também com surpresa).

Narumi Tsuruta: Não. Pois o nosso objetivo é quebrar barreiras e fronteiras, juntando todos os fãs de tokusatsu para criar um único mercado e ser independente. Vejo que o mercado de tokusatsu no Brasil tem dificuldade no crescimento por ser dividido entre gerações, séries e franquias. Justamente por ter essa característica, no Alma Tokusatsu, não será voltado para época ou série específica.

JBox: Quais atrações e atividades que o público poderá encontrar no evento?

Alma Tokusatsu: Exposições de réplicas de armaduras dos nossos heróis feito pelos cosmakers, shows de bandas e do Ricardo Cruz, que vão tocar e cantar somente as músicas de tokusatsu, artistas expondo seus desenhos na temática tokusatsu, desfile e concurso de cosplay, palestras sobre a origem do tokusatsu, dentre outras curiosidades, novidades, performances, além de um espaço para conhecer pessoas e papear bastante.

JBox: Onde e quando os nossos leitores poderão conferir o Alma Tokusatsu?

Alma Tokusatsu: Na associação Aichi do Brasil, que fica na Liberdade, Rua Santa Luiza 74, nos dias 26 e 27 de outubro a partir das 11h às 19h.

JBox: Quais as expectativas para a primeira edição do evento?

Alex Rangel: Esperamos reunir fãs, bater papo, fortalecer a marca e nos preparar para a segunda edição.

Narumi Tsuruta: Queria que o evento fosse o local de encontro entre os fãs, criando e fortalecendo os laços entre eles. Pois o mercado é nada mais do que feito pelas pessoas.

JBox: Muito obrigado pela participação e que seja a primeira de muitas edições pela frente. Desejam deixar algum recado para os leitores da Coluna do Daileon?

Alex Rangel: O evento não é da Narumi e do Alex e sim nosso. Somos tokusatsu e sem vocês o evento não acontece, portanto vamos realizar essa meta e sermos heróis para outras pessoas ajudando com as caixas do poder (momento doações).

Narumi Tsuruta: Sim, exatamente, Alex. Nós somos apenas fãs iguais a outros. Não somos popstars e nem autoridades. Penso que o evento é feito por todos e o mercado de tokusatsu no Brasil também. Sem união nada disso será sucesso. Que se juntem em nome de tokusatsu. (risos) Afinal, somos tokusatsu.

Confira mais informações sobre ingresso e programação do evento Alma Tokusatsu através do site oficial.


Confirmado!

Demorou, mas habemus data! Kamen Rider Reiwa: The First Generation, filme que reunirá os personagens de Kamen Rider Zi-O e Kamen Rider Zero-One, estreia nos cinemas japoneses em 21 de dezembro (sábado), como indica a imagem a seguir:


Ribut está aqui!

Ultraman Ribut será introduzido na minissérie Ultra Galaxy Fight: New Generation Heroes, que estreia neste domingo, às 10h de Tóquio (sábado às 22h pelo horário de Brasília). O anúncio foi realizado nos vídeos lançados pela Tsuburaya em seu canal oficial no YouTube. Assista (com legendas em inglês):

Nota: A primeira aparição de Ultraman Ribut aconteceu em alguns episódios da nona temporada da série infantil malasiana Upin & Ipin, em 2015.


Anúncio

A Tsuburaya anunciou nomes para o elenco do filme Shin Ultraman. São eles: Akari Hayami, Tetsuji Tanaka, Koji Yamamoto, Keishi Nagatsuka, Kyusaku Shimada, Toru Masuoka, Hajime Yamazaki, Ryo Iwamatsu e Soukou Wada.

O ator e cantor Daiki Arioka, do grupo musical Hey! Say! JUMP!, também foi anunciado como membro do elenco. Ele, que faz parte da agência de talentos Johnny and Associates (que apresenta muitas das principais boybands e jovens atores do Japão), será o primeiro ator da mesma a participar da franquia Ultraman desde Hiroshi Nagano, do V6, que interpretou o herói principal Daigo Madoka em Ultraman Tiga (de 1996).

Masami Nagasawa, Hidetoshi Nishijima e Takumi Saito foram anunciados anteriormente como os principais membros do elenco do filme.

Shin Ultraman é dirigido por Shinji Higuchi e escrito por Hideaki Anno (os mesmos de Shin Godzilla) e tem previsão de lançamento para 2021.


Retorno psicótico

Os Psycho Rangers estão de volta. O quinteto que infernizou a vida dos heróis de Power Rangers no Espaço e de Power Rangers na Galáxia Perdida se aliam ao Psycho Verde (um ex-integrante dos Power Rangers Supersonic). Andros e cia irão protagonizar Power Rangers: The Psycho Path, a nova graphic novel da BOOM! Studios.

As primeiras páginas foram divulgadas pelo site Den’s of Geek e mostram os Psycho Rangers procurando por Karone/Astronema, que recorre à ajuda de seu irmão Andros e mais Carlos, TJ, Ashiley e Cassie. Confira na galeria:

Veja mais informações sobre esse arco aqui.


Falando nisso…

Meu amigo Raphael Maiffre do portal Mega Power Brasil montou um guia completo com a cronologia dos Psycho Rangers para você assistir e ler antes de Psycho Path. Leia aqui e divirta-se! ;)


Em vídeo

Kishiryu Sentai Ryusoulger The Movie: Time Slip! Dino Panic!! será lançado em Blu-ray, no Japão, em 4 de dezembro. Já Kamen Rider Zi-O: Over Quartzer será lançado em 8 de janeiro de 2020.


Fotos de ação

Seiji Takaiwa anunciou seu primeiro photobook. Intitulado Hero Suit Actor Seiji Takaiwa Photo Album, o álbum de fotos mostra o dublê dos Heisei Rider (exceto Kuuga e Hibiki) em várias poses de ação numa pedreira situada na província de Tochigi. Estará à venda no Japão a partir de 20 de dezembro e vai custar ¥10,000. Veja algumas das imagens:


Rede do mal

Dois novos Riders vão aparecer nos episódios de outubro de Kamen Rider Zero-One. Kamen Rider Horobi e Kamen Rider Jin são revelados e, como os nomes já dizem por si, eles são os dois vilões do grupo terrorista MetsubouJInrai.net e usarão os dispositivos chamados MetsubouJinrai ForceRiser para se transformarem. A Progrise Key de Horobi é o Sting Scorpion, enquanto Jin obtém a Flying Falcon.

Enquanto isso, os Riders do bem terão que dominar algumas novas Progrise Keys. Zero-One vai usar a chave Freezing Bear, enquanto Valkyrie ganha uma nova forma graças à chave Lightning Hornet.

A Progrise Key mais poderosa da atualidade é o Breaking Mammoth. Esta nova forma é na verdade um satélite transformado numa pesada armadura de batalha para Zero-One.

Veja as scans:


Pi-Tan

Em Ryusoulger: os heróis descobrirão um ovo estranho que eclode em um mini-Kishiryu, apelidado de Pi-Tan. Pi-Tan pode adicionar poderes extras a outros Kishiryu, como conceder ao Tyramigo a capacidade de voar numa combinação chamada Pi-Tyramigo.

Ao crescer para o tamanho (padrão) de um Kishiryu, Pi-Tan será conhecido como Pterardon. Armado com fantásticos poderes de gelo, Pterardon se converte em um poderoso mecha chamado Yokuryu Oh.

Mas é claro que a verdadeira força vem da combinação! Uma vez que Pterardon se une a Tyramigo e ao recém-descoberto Pachygaroo, eles formam o Kishiryu Oh Jet – um incrível mecha voador com força imparável.

Pi-Tan também traz um novo Ryusoul para lutar, o Hie Hie Soul, que concede ao usuário uma armadura com ataques de gelo. Ryusoul Red será o primeiro a dominar o Hie Hie Soul  e esse poder pode finalmente mudar o rumo na batalha contra Gaisorg.

Veja as scans:


Novos poderes

E em Ultraman Taiga: ao adquirir a espada definitiva chamada Tri-Blade, o nosso herói se tornará muito mais forte e evoluirá para sua forma mais nova e ardente chamada Ultraman Taiga Tri-Strium! Nos episódios seguintes, ele também adquirirá o Zero-Let, que também aumentará seu poder de combate.

Quanto ao Taiga Tri-Blade, essa arma pode convocar três tipos de ataques de chamas que representam os poderes do Tri-Squad, que também podem ser combinados para executar um ataque mais poderoso. O ataque final desta arma é chamado de Taiga Blast Attack.

As novas scans também revelam Ultraman Ribut, que vai aparecer na nova minissérie Ultra Galaxy Fight: New Generation Heroes a partir deste domingo (29), como falamos acima.

Veja as scans:


MacGaren brasileiro

Saiu nesse fim de semana uma entrevista com Diogo Miyahara, cantor nipo-brasileiro que interpreta canções de séries tokusatsu em eventos como o Anime Friends. A entrevista foi gravada no dia 15 de julho, no bairro da Liberdade, em parceria entre os meus amigos Bone Lopes, do canal Resistência Tokusatsu e Leo Gatti, do grupo Visão Tokusatsu. Por causa de sua elegância, Diogo também é conhecido pelo público como “MacGaren brasileiro”.

Nota do colunista: Estive nos bastidores dessa gravação, quando fui a São Paulo em julho. Diogo é gente fina, simpático e um grande entusiasta de tokusatsu.


Dádivas dos ninjas

Manhã do dia 2 de outubro de 1989*. O Cometa Alegria estava no ar pela extinta Rede Manchete e mais duas séries entravam como atrações do programa infantil estrelado por Patrick de Oliveira e Cinthya Rachel. Com distribuição da Top Tape, os clássicos Jiraiya e Lion Man estreavam nas proximidades do dia das crianças daquele ano. Eram duas apostas para agregar o filão de séries tokusatsu, que, até então, era formado apenas por Jaspion, Changeman e Flashman.

A Top Tape, que era propriedade do sr. José Roszemblits, já atuava com esse tipo de produção por conta das trilhas sonoras nacionais de Jaspion e Changeman. Inclusive, foi uma das distribuidoras que resolveu entrar para concorrência no ramo de licenças de séries tokusatsu. A Top Tape saiu na frente e em parceira com a Manchete lançou Jiban em 22 de janeiro de 1990, momento em que faltavam apenas seis dias para o episódio final da saga do nosso policial de aço. Mas isso fica para o futuro próximo. Curiosamente, apesar de estar fora do mercado, a situação cadastral da Top Tape segue ativa.

Oh, vento! Oh, luz!

O heroico Lion Man | Divulgação

Vamos por partes. A primeira série da trilogia foi Kaiketsu Lion-Maru, exibida nas noites de sábado da Fuji TV entre 1º de abril de 1972 e 7 de abril de 1973. Totalizando 54 episódios. Produzido pela extinta P-Productions, o “Lion Man branco” foi o substituto de Spectreman (exibido no Brasil nos anos 80 pelas emissoras SBT e Record). Aliás, ambos foram criados pelo falecido Tomio Sagisu (Souji Ushio).

A trama se passava no final século XVI (era Sengoku) e mostrava um trio de ninjas órfãos, Shimaru (Shishimaru), Saori e Kosuke, que vagavam pelo Japão para enfrentar os mensageiros do Diabo Gosun – batizado de forma bizarra na dublagem do primeiro episódio como “Satan Goss” (Oi???). Shimaru dizia “oh, vento! oh, luz!” para destravar a espada e em seguida se transformar no Lion Man branco. Seu visual era inspirado no tradicional teatro japonês kabuki.

No Brasil, foi a segunda série Lion Man exibida na Manchete, teve somente cerca de 10 episódios exibidos e tinha inserções da trilha sonora nacional, interpretada pelo sambista Ronaldo Barcellos.

LP com a trilha sonora nacional de Lion Man | Reprodução

A versão mais memorável do público foi Fuun Lion-Maru, o “Lion Man laranja”. Teve apenas 25 episódios, transmitidos originalmente pela Fuji TV de 14 de abril a 29 de setembro de 1973. Todos eles foram exibidos no Brasil.

Em algum ponto do Japão feudal, o jovem Dan Shimaru (Dan Shishimaru) teve seu irmão assassinado pelos membros da família do Mantor do Diabo. Para vingar a morte, Shimaru parte numa jornada carregando uma espécie de foguete carregado com um tipo raro de pólvora que é combinado com a energia elétrica da espada. Ao seu lado estão a bela Shinobu e seu irmão mais novo Sankichi. Mais tarde aparecem o rival Jaguar e o afrontoso Joe Tiger, que foi o seu principal aliado até o fim da série. Com uma personalidade ligeiramente associada ao cristianismo (religião difundida no Japão no século XV), Shimaru se transformava em Lion Man ao empunhar a espada e ativar o foguete. Curiosamente, o Lion Man branco aparece inexplicavelmente em um dos episódios salvando Shimaru enquanto estava inconsciente.

Apesar da estranheza do público brasileiro pelas trucagens e efeitos especiais já ultrapassados, as duas séries Lion Man foram injustiçadas. A trama tinha valor com episódios com uma alta carga dramática. Merece sim uma chance por quem torceu o nariz na época, ou mesmo depois.

Tetsuya Ushio como Dan Shimaru | Divulgação

Na versão brasileira feita pela saudosa Álamo, Nelson Machado (lembrado pela voz do Quico do seriado mexicano Chaves) dublou Shimaru nos oito primeiros episódios do Lion Man laranja e voltou do episódio 17 até o final como o alívio cômico Nijino Nanairo. Leonardo Camilo (Ikki de Fênix em Os Cavaleiros do Zodíaco) fez a voz do Shimaru nos episódios restantes, incluindo a sua contraparte na série original. Outros destaques ficam para Lúcia Helena (Saori e Shinobu), Hermes Baroli (Kosuke e Sankichi), Gastão Malta (in memorian, Agdar) e Gilberto Baroli (Satan Goss Diabo Gosun e alguns monstros) e Carlos Alberto Amaral (in memorian, narrador).

Disse que Lion Man é uma trilogia? Pois bem. É que no final de 2006 tivemos uma versão voltada para o público mais velho. A trama foi ambientada na Neo-Kabukichou, uma versão do distrito de Shinjuku, Tóquio. Shishimaru, uma reencarnação do Lion Man original, era um gigolô que protagonizava situações constrangedoras e se transformava no herói para combater o mal (Oi??? 2). Tinha apenas 13 episódios (quantidade típica para produções exibidas de madrugada) e tinha um humor bastante insultuoso que em nada fazia jus ao clássico setentista. Se tiver curiosidade para acompanhar essa bagaça, te digo apenas duas palavrinhas: boa sorte.

Nota do colunista: Outras séries da extinta P-Productions que foram exibidas no Brasil foram Vingadores do Espaço (Magma Taishi, 1966) e O Príncipe Dinossauro (Kaiju Ouji, 1967).

A guerra mundial dos ninjas

O LP nacional de Jiraiya | Reprodução

De longe, Jiraiya – O Incrível Ninja (Sekai Ninja Sen Jiraiya) é um cult da Manchete. Sendo a sétima série da franquia Metal Hero, foi exibida nas manhãs de domingo da TV Asahi entre 24 de janeiro de 1988 e 22 de janeiro de 1989. Sucedendo Metalder e antecedendo Jiban.

A série contava a saga de Toha Yamashi, filho adotivo do ninja Tetsuzan Yamaji, que representa a 34ª geração do clã Togakure e defensor legítimo da inscrição que revela o paradeiro de Pako. Tetsuzan possui uma metade da inscrição, enquanto a outra ficou com Dokusai, o chefe da Família de Feiticeiros. Pako é uma miraculosa capsula espacial oriunda de uma civilização mais avançada que a Terra. A disputa pelo tesouro do século começa quando Dokusai informa ninjas de várias partes do mundo que visam Pako para seus propósitos pessoais. Alguns benéficos e outros malignos.

Todos os 50 episódios de Jiraiya foram exibidos no Brasil pela Manchete e reprisados exaustivamente até o início dos anos 1990. Na fase derradeira da emissora e com direitos adquiridos/renovados pela Tikara Filmes, a série foi reprisada a partir de 7 de dezembro de 1998, inicialmente ao lado dos animes Shurato e Yu Yu Hakusho. Com exceção dos episódios 15 e 16, Jiraiya sofreu reprises infindáveis até o episódio 38 e sua última exibição aconteceu na manhã de 31 de outubro de 1999, quando a emissora já tinha sido vendida e estava no final da transição para a RedeTV!.

Alguns dos ninjas do “império” reunidos | Divulgação

A versão brasileira também foi da Álamo e reuniu grandes nomes como Mauro Eduardo (Toha/Jiraiya), Waldir Wey (in memorian, Tetsuzan), Cecília Lemes (Kei/Emiha), Hermes Baroli (Manabu), Líbero Miguel (in memorian, a primeira voz de Dokusai), Gilberto Baroli (a segunda voz de Dokusai), Zodja Pereira (Benkiba), Francisco Brêtas (Retsuga), Carlos Laranjeira (in memorian, Ryu Asuka/Spyker), Eduardo Camarão (Spyker nos episódios 6, 8 e 9), Nelson Machado (Hakushin), Maximira Figueiredo (in memorian, Catherine e Morgana), Gastão Malta (in memorian, Barão Owl), Carlos Alberto Amaral (in memorian, narrador e Retsuga nos episódios 3 e 5) e grande elenco.

Jiraiya reapareceu em 2015 no episódio 34 de Shuriken Sentai Ninninger e o papel foi reprisado por Takumi Tsutsui. Esse mesmo episódio foi adaptado em 2018 para um episódio de Power Rangers Super Ninja Steel, onde Jiraiya se transformou no (boboca) Xerife Skyfire. Fora isso, Jiraiya e outros heróis como Jaspion, Jiban etc aparecem rapidamente em Space Squad: Gavan vs. Dekaranger, filme de 2017. A sequência intitulada como Kyuranger vs. Space Squad introduz um novo Jiraiya chamado Touma Amagi, que não mostra seu rosto e se torna um policial do espaço ao lado dos novos Gavan e Shaider.

O novo Jiraiya ao lado dos policiais do espaço Gavan e Shaider | Divulgação

E não menos importante. Os atores Takumi Tsutsui (Toha/Jiraiya) e Takumi Hashimoto (Manabu) já estiveram no Brasil para participar de eventos de cultura pop, passando recentemente em julho de 2019 pelas edições paulista e carioca do Anime Friends.

Nota do colunista: Escrevi detalhes sobre a última reprise de Jiraiya na Manchete/RedeTV! na Coluna do Daileon#26.

*Créditos: Matheus Mossmann (do blog Dynablack Asylum).

Publicidade
close