Coluna do Daileon#103 | Kamen Rider Black: as últimas sobre a volta do herói para o Brasil

Grande sucesso da extinta Rede Manchete deverá retornar no segundo semestre deste ano.

Saudações inca-venusianas! (Awika!) Kamen Rider Black voltará para o Brasil com qualidade em HD. Band altera horário de Jaspion e cia a partir deste domingo. Kamen Rider Zero-One e Kirameger estão de volta na próxima semana. Essas e outras novidades, além de uma homenagem aos 25 anos de Solbrain no Brasil, você confere a partir de agora. Coluna do Daileon, 2 anos atualizando você sobre o universo tokusatsu. Plus up!


Alta definição

Você viu aqui no site JBox sobre a possível reestreia de Kamen Rider Black no Brasil, via streaming pela plataforma Amazon Prime Video.

O homem mutante está voltando! | Divulgação/Toei

Segundo informações do meu camarada Danilo Modolo, do canal TokuDoc, o material que a Sato Company irá adquirir será em alta definição (HD). A Toei já lançou, entre 2014 e 2015, a série nesse formato numa coleção em três volumes de BD-box.

Sobre a dublagem: será a mesma realizada pela extinta Álamo no começo dos anos 1990. O áudio será tratado e possivelmente será retirado dos materiais alternativos. Segundo a distribuidora, os trechos da dublagem que faltam nos materiais alternativos serão dublados. Isso inclui até mesmo os previews dos episódios seguintes, que são inéditos na TV brasileira. Lembrando que o episódio final jamais foi exibido por aqui (e gerou algumas lendas urbanas malucas).

Ainda é cedo pra especular uma exibição na Band. Além do Prime Video, outros serviços de streaming também deverão disponibilizar a série, a exemplo do filme Lupin III: O Primeiro.

Por ora, a previsão de lançamento fica para o segundo semestre deste ano. A Sato Company também deverá trazer uma série Kamen Rider da era Heisei, de acordo com a escolha do público.

Comentário: O material em HD de Black existe e é indispensável. Nada mais justo trazer esse material. Outra surpresa é saber que até os previews dos episódios serão dublados. Luiz Antônio Lobue, narrador da série na dublagem clássica, continua na ativa e merece retornar.


Fim do hiato

Após cinco semanas de hiato (sustentadas por episódios especiais), Kamen Rider Zero-One e Kiramager retornam com episódios inéditos a partir do dia 21. As gravações foram suspensas em março por causa da pandemia do novo coronavírus.


Mais de cem mil!

No ar desde 5 de abril, o canal Toei Tokusatsu World Official atingiu, na manhã deste domingo (7), a marca de 100 mil inscritos no YouTube (até o fechamento desta edição, já são mais de 104 mil). Congratulations!!!

Comentário: Depois de exatas nove semanas, o canal atingiu a marca. Logo logo a plaquinha vai chegar no escritório do Shirakura (hehehe!). Então, espero que a Toei retribua o público com perfis nas redes sociais e (por que não?) legendas em inglês dos novos episódios. Merecemos.


Mudança na grade

Apesar de uma audiência satisfatória para os padrões da Band, as séries tokusatsu perdem um pouco do seu espaço na grade a partir do próximo domingo, dia 14 de junho. O bloco Mundo Animado continuará indo ao ar a partir de 10h30, porém agora com apenas um episódio de cada série. Leia mais aqui.

Comentário: Espero que Jaspion e cia não tenham o mesmo destino que Os Cavaleiros do Zodíaco num passado não muito distante da emissora. Sinal amarelo.


Sorteio

Como você viu por aquiUltraman Geed – O Filme será lançado oficialmente no Brasil no próximo dia 18 de junho, com legendas em português, diretamente pelo Cinema Virtual. Em parceria com a plataforma, o JBox vai sortear 5 códigos para que os fãs possam assistir gratuitamente no conforto de suas casas. Leia mais aqui.


Meet & Greet Online

Que tal poder conversar diretamente com Hiroshi Watari, um dos maiores atores do tokusatsu dos anos 1980? O intérprete original do herói Sharivan e do Spielvan, que também participou de Jaspion como o aliado Boomerman, participará de um Meet & Greet Online organizado pelo pessoal do Alma Tokusatsu. Leia mais aqui.


Seleção de episódios

Desde o dia 1º de junho, o canal Bandai Spirits (via YouTube) lança semanalmente episódios selecionados do animê mecha Muteki Robo Trider G7, produzido pela Sunrise (a mesma de Gundam) de 1980 a 1981. A exibição é um aquecimento para o lançamento da figure do robô GX-66R para a linha Chogokin Tamashi em outubro, em comemoração aos 40 anos da série.

Os episódios selecionados (de um total de 50) são liberados às segundas-feiras (domingo à noite pelo horário de Brasília) e com legendas em inglês. Assista ao primeiro episódio no vídeo acima.


Nos States

A distribuidora norte-americana Mill Creek Entertainment confirmou o lançamento da BD-box de Ultraman Ginga. Custando $49,99, a coleção terá a série original de 2013, a série Ultraman Ginga S (de 2014), o longa Ultraman Ginga S: The Movie (de 2015) e a minissérie Ultra Fight Victory (também de 2015).

Lançamento para 15 de setembro nos EUA.


Animação

Neste domingo, a Toei vai lançar Mashin Mukashi-Banashi Gekijō, um spin-off animado de Kiramager, em seu canal oficial no YouTube. Curiosamente, o animê vai mostrar versões deformadas dos Mashins, que vão contar histórias do folclore japonês. Veja as imagens na galeria:


Super força

Veja agora as scans da nova edição da revista Televi-Kun, com novas informações e imagens de Kirama Silver, o sexto herói de Kiramager.

Takamichi Crystalia, o alter-ego de Silver, pode falar uma língua desconhecida e ele é muito mais forte do que um ser humano comum, pois pode facilmente levantar e carregar alguém nas costas sem problemas.

Quanto ao seu parceiro Mashin, ele se chama Mashin Drijan, que parece um tanque de perfuração e um escorpião. Drijan também fala a mesma língua que apenas Takamichi pode entender e também falar. Veja as imagens:


Novas infos

Veja também novas informações e imagens de Ultraman Z (Zett), pelas páginas da revista Televi-kun.

O herói utilizará a arma Z Lance Arrow (uma Orb Slugger Lance remodelada), que servirá tanto para a forma principal quanto para as alternativas.

Sobre a equipe STORAGE, eles comandarão os robôs de bolso Windom e Sevengar. Seu veículo terrestre é chamado de Steg.

E em sua primeira aventura, Ultraman Z enfrentará os kaijus Gomess (de Ultra Q), Neronga (de Ultraman) e o inédito Genegarg.

Ultraman Z estreia na TV Tokyo no próximo dia 20. Veja as imagens:


Live beneficente

Neste sábado (13), a partir das 20h, o projeto Anison Lab, da dupla Ricardo Cruz e Lucas Araújo, vai realizar uma live beneficente para ajudar os profissionais de shows e eventos. Mais informações no vídeo acima.


Plus up!

Dez episódios de Solbrain e seus princípios

Solbrain completa 25 anos de estreia no Brasil | Divulgação

No dia 12 de junho de 1995, a extinta Rede Manchete estreava a Super Equipe de Resgate Solbrain (Tokkyu Shirei Solbrain, de 1991). Sequência de Winspector, a série teve 53 episódios e foi a segunda da trilogia Rescue Police Series (finalizada com Exceedraft, inédita no Brasil). Também foi a última série Metal Hero a passar por aqui e a penúltima a estrear na emissora da Família Bloch.

Com um teor mais dramático e com alguns episódios carregados de violência, Solbrain transmitiu várias lições que podem e devem ser refletidas em pleno 2020. A principal missão da segunda equipe comandada pelo Chefe Shunsuke Masaki era “salvar a vida e os corações perdidos dos homens“. A ideia surgiu no último episódio de Winspector, inspirando o chefe de polícia na criação do mais avançado esquadrão de resgate de então. De longe, é um dos melhores clássicos que já passaram por aqui.

Para celebrar o aniversÁrio de lançamento no Brasil, a Coluna do Daileon destacou dez episódios que ensinaram lições a serem relembradas e absorvidas. Ao final da descrição de cada episódio, seguem os seus respectivos princípios e quotes marcantes. Plus up!

 

Episódio 8 – O Desaparecimento da Roupa Especial

Dois policiais, que foram candidatos a comandante do Solbrain, são os antagonistas do caso de roubo da Proto Suit (idêntica ao Solid Suit de Solbraver). Após um ataque contra o Chefe Masaki, as pistas apontam o ex-superintendente Katsuhito Sasamoto como suspeito. Daiki aceita o desafio do “falso” Solbraver e tenta resgatar a armadura, que possui um limite de tempo menor que as Solid Suits. Orgulhoso, Sasamoto foi salvo por Solbraver, após seu tempo de uso da Proto Suit esgotar. Após a luta, Solbraver ainda teve que salvar uma garotinha de um incêndio, no mesmo local de batalha contra Sasamoto. Sasamoto teve que aprender, na dor, o valor da vida humana e entender o porquê de não ter sido escolhido como capitão da Super Equipe de Resgate. Sasamoto foi interpretado por Junichi Haruta (MacGaren em Jaspion).

Princípio: Todas as vidas humanas são importantes. Essa é uma das principais missões de Solbrain. Infelizmente, Sasamoto era um policial que desprezava os homens e os fazia de escada para tentar obter status. Ele não tinha a mesma bravura, força e coragem de Daiki para salvar até mesmo uma criança – pequena e significativa vida – de um incêndio, da qual ele havia zombado. Até mesmo a vida de um criminoso como Sasamoto foi salva por Daiki com muito custo. Tais qualidades de Daiki foram valiosas para que ele se tornasse o capitão da Super Equipe de Resgate, enquanto Sasamoto não tinha quaisquer qualificações, pois não admitia perder.

Aquele que não conhece a frustração, sofre. Mas aquele que supera a frustração, se fortalece. Solbrain acreditava que a lágrima de Sasamoto seria a resignação e o início de uma nova etapa de vida.” Narrador da série.

 

Episódio 10 – Os Velhos Incendiários

Jun salva Okada, um idoso de um ataque de uma gangue de motoqueiros. Mas o que o policial não sabe é que Okada é candidato a um cargo de uma firma de faxada, que usa idosos, vítimas da Segunda Guerra Mundial, para promover incêndios criminosos contra vários estabelecimentos do Japão. Masaki Sudo, o dono desta firma, carrega uma cicatriz no rosto e sua principal motivação é uma vingança contra Genzo Sakuragi, que havia assassinado sua família. Sudo fracassou em sua vingança e acabou morrendo. Enquanto isso, Jun teve a difícil tarefa de prender Okada e seus parceiros incendiários.

Princípio: Os velhos eram boas pessoas, mas foram coagidos por um criminoso. O crime não compensa e nada justifica destruir uma civilização “pelo próprio amor“, como disse um dos incendiários, e nem por vingança. Os métodos importam. Jun, por mais que sofresse por prender um idoso seduzido por uma causa que carrega um modus operandi abjeto, teve que cumprir a lei.

O coração de Jun estava triste e por muito tempo não vai esquecer esse momento doloroso. Jun Masuda, 22 anos, passou uma fase triste nesta primavera, prendendo os criminosos.” Narrador da série.

 

Episódio 17 – Os Fugitivos Algemados

O esquadrão de resgate monta uma operação proibida para fazer com que o criminoso Tetsuya Nagata revele o nome por trás de uma série de assassinatos. Para isso, um acidente de ônibus é forjado. Daiki se disfarça de bandido e se algema com Nagata, e ambos se tornam fugitivos. Enfrentando o perigo, Daiki tenta conquistar a confiança de Nagata, que, apesar de se envolver numa organização criminosa, não matou ninguém e fazia isso para obter dinheiro (sujo) para sustentar seu filho. Daiki tenta convencê-lo a não fazer isso. Ao enfrentar os mafiosos, Daiki pede para Nagata fugir, acreditando na sua recuperação. Com a solução do caso, Nagata devolve o dinheiro e começa uma nova vida longe do crime. Nagata foi interpretado por Ryosuke Sakamoto (Red One em Bioman).

Princípio: Nagata não matava ninguém, apesar de seu envolvimento com a máfia. Para ter algum reconhecimento de seu filho, ele queria o dinheiro. Mas esse não era o caminho correto e só deixou sequelas, como a separação de sua esposa e o distanciamento de seu filho. Daiki, disfarçado de bandido e algemado com ele, confiou nele, acreditando que ele poderia se regenerar e viver dignamente com seu filho.

Daiki tirou o homem do caminho errado usando palavras mágicas e arriscando sua própria vida. O lema do Solbrain é acreditar no homem até o último momento.” Narrador da série.

 

Episódio 20 – A Triste Algema

Um habilidoso assassino rouba armas de uma base militar e mata jovens que estiveram envolvidos na morte de uma estudante. Durante a investigação, Daiki suspeita de Kosugi, seu antigo instrutor. Descobre-se que a garota morta no atropelamento é a filha adotiva de Kosugi. Contrariando a ordem de Masaki, Daiki está disposto a prender seu próprio mestre, que persegue implacavelmente um filho de um senador. Diante de um pôr do sol, Daiki prende Kosugi e compreende o que ele sentia. Era necessário prender um coração triste. Kosugi foi interpretado por Joji Nakata (Kaura em Flashman).

Princípio: Daiki aprendeu com Kosugi que o criminoso também tem coração. E era preciso algemar o coração triste de seu instrutor, que estava revoltado com a morte de sua filha e arriscando até mesmo os policiais e o pai do jovem delinquente, em nome de sua vingança. O que Daiki não esperava era ter que prender Kosugi. Mesmo assim, o capitão não se deixou abalar pela queda de seu mestre. Ele soube superar essa provação.

O homem é uma criatura muito triste. Quando a tristeza é grande, é fácil cometer crime. Mas tirar a tristeza do criminoso é muito difícil para a policia. É difícil, é difícil. Mas lembre-se que o criminoso também tem coração. No entanto, o que pode ser feito é algemar o coração triste e não as mãos. E deixe gravado isso no seu coração.” Kosugi para o jovem Daiki.

 

Episódio 23 – Do Winspector ao Solbrain

Terceira e última parte do arco que contou com a volta do Esquadrão Especial. Liuma/Fire, Biker e Highter estão em uma missão secreta para deter Messayer, um super robô capaz de se transformar em qualquer ser humano. O mecanismo de destruição de Messayer está ativado. Há dois pontos de vista conflituosos nesta corrida contra o tempo. Liuma quer eliminar Messayer a qualquer custo. Porém Daiki acredita que o robô possa ter algum sentimento humano. É revelado que o cérebro de Messayer é de um turista que morreu em um acidente. Solbraver tenta impedir Messayer usando a Giga Stream (Giga Streamer), a arma mais poderosa de Fire, mas ele não consegue atacar um robô que possui lembranças de sua família. Carregando uma profunda tristeza por não poder rever sua esposa e filha, Messayer se sacrifica. Liuma entrega a Giga Stream para Daiki, com a finalidade de proteger a humanidade.

Princípio: Os pontos de vista de Liuma e Daiki eram divergentes, porém eles precisavam trabalhar juntos para alcançar o objetivo. Nota-se que ambos tinham um recíproco respeito entre eles. Liuma acreditava que não errou na sua maneira de agir, mas aprendeu com Daiki o quanto a vida tem valor. Apesar do sacrifício de Messayer, Daiki conseguiu salvar o coração do androide, pois ele abandonou esse sentimento de vingança.

Sabe, as leis da vida são muito complexas. Nós lutamos pela paz. Mas por trás, existem pessoas que friamente criam vítimas como Messayer.” Chefe Masaki.

 

Episódio 33 – Quando o Herói Chora!

Quando Daiki e Jun perseguem três adolescente ladrões, eles são surpreendidos por Kohei, um jovem recém-saído do reformatório. Kohei ensina ao trio uma falsa lição: “Um herói nunca fraqueja, não derruba lágrimas, jamais“. Eles acabam se envolvendo num roubo de um perigoso explosivo, encabeçado pelo terrorista Kousuke Doi. Daiki, que conhece o passado de Kohei, se determina a prendê-lo, para que possa ter dignidade no futuro. Kohei pede ajuda para o comandante da Super Equipe de Resgate para salvar os garotos, que estavam como reféns. Após a solução do caso, Kohei é condenado a voltar ao reformatório. Mas antes, Daiki pede a ele para que chore na frente dos garotos, como desligamento de seu passado. Sem dúvida, a cena é um dos momentos mais emocionantes da série. Doi foi interpretado por Yutaka Hirose (Wandar em Flashman).

Princípio: Kohei havia ensinados as crianças que um herói não deve chorar, segundo sua narrativa. Ledo engano. Antes de voltar para o reformatório, Kohei aprendeu com Daiki que ele deve chorar, pois “é realmente herói aquele que consegue chorar, quando é preciso chorar“. Era necessário que seus jovens admiradores se decepcionassem com ele ao vê-lo chorar, pois assim eles não o teriam mais como inspiração para enveredar no mundo do crime. Daiki acreditava na sua regeneração.

As lágrimas que rolavam era do verdadeiro herói. Dessa vez, com certeza Kohei há de se levantar. Daiki estava convicto disso.” Narrador da série.

 

Episódio 38 – Convite à Morte

Misteriosos casos de suicídio e eventos sobrenaturais chamam a atenção da Super Equipe de Resgate. Tudo está ligado à figura nefasta da Mulher de Riga, uma antiga serva de Hitler que esteve envolvida numa morte em massa ocorrida na Letônia, durante o final da Segunda Guerra Mundial. Reiko recorre à Kazumi Murayama, uma antiga colega de colégio, cuja o pai havia comprado um quadro da Mulher de Riga e foi assassinado. Ako Kuji, uma colecionadora de quadros, é uma sinistra mulher obcecada pela peça que ocultava a alma penada da mulher domadora. Para vingar a morte de seu avô, que era adepto de Hitler, Ako evoca o espírito da Mulher de Riga. Solbraver e cia derrotam o espírito maligno e destroem o quadro amaldiçoado. Episódio polêmico/controverso (reprisado várias vezes numa emissora de família judia, inclusive), mas que foi feito sem apologia e misturando contexto histórico com fantasia. Em outras palavras, a figura do nazismo de Hitler era associada ao demônio nesta analogia da luta do bem contra o mal.

Princípio: O nazismo, assim como todo e qualquer regime totalitário e genocida, deve ser veementemente repudiado. Ako manifestou um espírito cheio de ódio e maldade. Entretanto, ela, que era adepta de um dos movimentos mais abjetos da história da humanidade, esteve sujeita à regeneração, assim como qualquer outro preso durante a série. Pois deve-se odiar o crime e jamais o homem, como assim diz o lema do Solbrain (ver o próximo tópico). A vítima pergunta para Daiki se a guerra continuará enquanto existir ódio entre os homens. Ele responde: “Não. Enquanto existir justiça dos homens (conforme a lei), nós nunca seremos vencidos pelo mal. Sempre venceremos“. Daiki lutava bravamente contra quem não respeita a vida sagrada dos homens e com sabedoria.

Justiça e coragem. Este é o lema do Solbrain. Protegendo a felicidade dos homens, lute corajosamente, Super Esquadrão Solbrain!” Narrador da série.

 

Episódio 40 – A Armadilha para os Heróis

Jun é sequestrado por Koji Imai, que exige a presença de Daiki e Liuma (desarmados) para resgatá-lo. Soljeanne intervém na operação e é atacada por um superpoder de Imai. Por um lado, o caso tem a ver com a morte do filho de Imai. Por outro, há alguém por trás que está mirando contra o Solbrain. Após Braver e Knight Fire resolverem o caso, Ryuichi Takaoka (o grande vilão da trama) reaparece e mata Imai, que estava sob hipnose. Takaoka também confessou que a morte do filho de Imai foi premeditada. Tudo isso para incitar o ódio dos policiais contra ele, uma vez que isso fere a máxima do esquadrão de resgate. Takaoka foi interpretado por Masaki Terasoma (a voz original de Shadow Moon em Kamen Rider Black).

Princípio: Mesmo Daiki, com sua integridade, sentiu ódio por Takaoka, que matou uma criança. Mas esse sentimento é proibido, principalmente quando luta-se pela justiça e independente dos atos criminosos de quem cometeu. Só deve odiar o crime, disse Masaki para Daiki após a missão.

O policial deve odiar o crime, não deve odiar o homem.” Chefe Masaki

 

Episódio 42 – A Vingança

O Solbrain pode ser dissolvido caso o deputado Ginjiro Toyama seja reeleito. Para engajar sua campanha, ele conta com a ajuda do conselheiro Ken Nakata, que acabara de chegar dos EUA e também é um antigo colega de Masaki. A campanha de Toyama sofre várias tentativas de atentado e o motivo vem de longa data. Toyama foi responsável pela morte do pai de Nakata, que era seu conselheiro de campanha 20 anos antes. Com a vitória de Toyama, Nakata tenta matá-lo pessoalmente, mas é baleado pelos capangas do político. Masaki chegar tarde na cena do crime e Nakata morre em seus braços. Braver, Knight Fire e os outros policiais ajudam o chefe a prender Toyama.

Princípio: Esse episódio é um bom exemplo que mostra a importância de se ter ceticismo político. O deputado Toyama fazia discursos populistas sobre paz, lutava contra corrupção, sendo que ele mesmo era um criminoso. Por outro lado, Toyama era o alvo de Nakata, pois seu pai foi assassinado por ele. Nakata acabou morrendo nas mãos de Toyama, deixando uma profunda tristeza em Masaki. A vingança não é a saída.

Masaki estava com o coração cheio de tristeza. Um crime que roubou seu amigo, feriu o amor e gerou a tristeza. O Chefe Masaki jurou acabar com isso, principalmente como comandante da Solbrain.” Narrador da série.

 

Episódio 53 – Super Equipe de Resgate Solbrain, até o Próximo Encontro!

Faltando poucos dias para o encerramento de suas atividades, o Solbrain corre contra o tempo para prender Takaoka. O vilão usa Kazuya Sato, um jovem de 26 anos que teve seu pai assassinado por Nakai há cerca de duas décadas. Nakai cumpriu sua pena, formou uma família e seu filho, Issamu, acabou se tornando amigo de Kazuya. O ódio de Kazuya crescia sempre quando via sua mãe num debilitado estado de saúde. Issamu é raptado por Kazuya e Braver e seus companheiros partem para salvá-lo. Sem coragem para matar Issamu, Kazuya esfaqueia Takaoka. Masaki, Daiki e Liuma enfrentam o combalido vilão, que estava unido a um supercomputador que alimentava o seu ódio contra os homens. Assim como seus pais no passado, Takaoka morre envenenado. Apesar da melancolia, Kazuya e Nakai se reconciliam. Após a última missão do Solbrain, o esquadrão de resgate é finalmente dissolvido. Daiki, Reiko e Jun são transferidos para outras cidades do Japão. Um novo sistema policial estava prestes a ser inaugurado, incluindo treinamento de policiais para usar Solid Suits similares ao de Solbraver.

A missão do Solbrain é salvar a vida e salvar os corações perdidos dos homens. Mas só não conseguimos salvar o seu coração, Takaoka.” Chefe Masaki

Princípio: Infelizmente Takaoka não se redimiu e dependia do supercomputador para odiar os homens. Por outro lado, Daiki compreendeu que ele não deveria mais carregar seu ódio por Takaoka, ao ver o estado de saúde da mãe de Kazuya. A lição que foi deixada no desfecho de Solbrain era o perdão entre o ex-assassino e o filho de sua vítima.

 

Infelizmente, Solbrain é uma série subestimada e praticamente esquecida pelo público brasileiro. Deve ser revisitada, pois a grande maioria dos seus episódios carregam reflexões profundas sobre a natureza humana. O homem pode se arrepender de seus crimes e se regenerar. Basta querer. :)

PS: Escrevi também esse texto sobre os 25 anos de Solbrain no Brasil.

Publicidade
close