Imagem: O Jotaro e Dio Brando em montagem. As bordas da imagem indicam ser um artigo do JBox.

JoJo’s Bizarre Adventure: O estrondoso sucesso das bizarras aventuras no Brasil

O sucesso de ‘JoJo’ no Brasil quebrou as barreiras do “impossível” com a publicação do mangá e agora a animação mais recente se encontra no mais popular streaming com animês, apesar de apenas legendada.

Apesar de seu sucesso internacional ser mais recente, JoJo’s Bizarre Adventure nunca deixou de ser um fenômeno no Japão. A extensa história criada por Hirohiko Araki, ativa desde 1986, é querida por várias gerações e por anos gerou diversas referências dentro dos mais diversos animês, mangás, jogos e por aí vai.

Mas e pelos cantos de cá? Atualmente sabemos que JoJo tem uma enorme fama entre um grande público, incluindo o brasileiro, que inclusive se tornou quase um dos carros-chefe de memes pela internet da série (quem a esse ponto nunca viu algum vídeo da série com um áudio do WhatsApp?). O que exatamente aconteceu para chegarmos aqui? A resposta é simples: a mais recente adaptação para animê do estúdio David Production.

Claro, o sucesso de JoJo não se dá apenas devido aos memes. O mangá é bastante cultuado desde sempre por sua história, personagens e poderes que fazem grande referência a culturais um tanto mais atuais, principalmente a nomes importantes do cenário musical pop e rock mais reconhecidos no ocidente, referências estas que sempre se atualizam ao decorrer da obra. Realmente, era só um novo animê apresentar a cativante história da família Joestar para emplacar a série.

Não foi a primeira vez que JoJo ganhou algum tipo de adaptação animada. Porém foi apenas com a adaptação iniciada em 2012, desde a primeira saga, que a série começou a ganhar mais atenção. Mesmo assim, o que explodiu primeiro no Brasil talvez tenha sido a parte 3, Stardust Crusaders, mas logo a atenção dos fãs se voltou para a temporada anterior, contendo as duas primeiras partes de JoJo.

Não que JoJo tenha só chegado aos ouvidos dos fãs agora, ainda mais porque conversas e referências sobre a série sempre foram famosas por aqui já nos anos 2000 em fóruns e redes fechadas, porém seu crescimento foi absurdo na década passada.

Imagem: Personagens da parte 3 de JoJo.
Reprodução: Crunchyroll

Com o sucesso do animê, era óbvio que surgiria uma imensa quantidade pedidos para a chegada do mangá no Brasil. Desde por volta de 2014, virou regra ver ou escutar em redes sociais e palestras das editoras Panini e JBC “e JoJo?” ou “quais as chances de se publicar JoJo?”, vindo tanto dos fãs febris quanto da imprensa otaku do Brasil.

As questões sobre a grande obra de Hirohiko Araki se tornaram até mesmo uma piada por anos, já que os pedidos continuaram tão constantes que beiravam a ser irritantes. Os editores sempre respondiam como um título muito difícil no Brasil pela sua vastíssima quantidade de volumes e questões contratuais. Para quem conhece um editor ou outro do mercado brasileiro de mangás sabe também qual era a resposta mais pessoal para o caso: “impossível”.

Imagem: Capa nacional de 'Jojo Parte 1: Phantom Blood'.
Divulgação: Panini.

Bem, esse “impossível” se tornou bem possível, já que em 2017, durante a Comic Con Experience, quase um ano depois do fim da adaptação animada de JoJo’s Bizarre Adventure: Diamond is Unbreakable, foi confirmado que pelo menos as três primeiras sagas de JoJo chegariam ao Brasil pela Panini… e assim aconteceu.

A prova que tudo deu certo é que agora, em 2021, os fãs aguardam pela chegada da parte 4 do mangá, confirmada ano passado pela editora, prevista para o próximo mês de maio.

Bem… continuando em 2021. Esse ano está se tornando importante pouco a pouco mais especial para os fãs de JoJo’s Bizarre Adventure, pois pela primeira vez tivemos um conteúdo sobre a série dublado oficialmente, o spin-off Assim Falava Kishibe Rohan – leia uma resenha aqui.

A série chegou na Netflix em fevereiro e proporcionou uma nova esperança: mais JoJo dublado no Brasil… o que por enquanto não acabou acontecendo. Apesar das esperanças dos fãs, as primeira temporada da série chegou apenas com opção de legendas em português. As vozes ficarão pra depois… espera-se.

Ainda é possível que exista uma expectativa para vozes brasileiras. Com a dublagem de Assim Falava Kishibe Rohan e uma pontinha a mais de atenção da Netflix para anunciar a chegada do animê na plataforma, algo meio raro, não deixa de ser viável sonhar e até mesmo especular seriamente.

Claro, existem preocupações de como ficaria uma dublagem, incluindo coisas como os nomes dos stands dos personagens, considerando toda a readaptação que já passaram em suas versões legendadas pelo mundo devido a direitos autorais, porém é uma nova porta de esperança para assistir ou reassistir JoJo por um novo viés.

Imagem: Personage de 'JoJo' vendo uma foto com a turma de 'Diamond is Unbreakable'.
Reprodução: Crunchyroll

Particularmente espero que JoJo consiga um novo fôlego de sucesso em breve. Enquanto esperamos a recém-anunciada adaptação de Stone Ocean, parte 6 do mangá original, seria bom acompanhar o animê por um novo ponto de vista. E, mesmo que não seja dublada, é ótimo que a série alcance ainda mais públicos na Netflix e brilhe ainda mais merecidamente no futuro que está por vir.


O texto presente neste artigo é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do site JBox.

Publicidade
close