Imagem: Subaru, protagonista de 'Tokyo Babylon'.

Tokyo Babylon: Estúdio GoHands processa King Records

Após animê ser cancelado provavelmente por plágios do estúdio, GoHands está atrás de pagamentos não realizados pela King Records.

E a novela do animê de Tokyo Babylon continua. O estúdio que estava responsável pela série, GoHands, abriu um processo contra a gravadora King Records por não ter pago em torno de 450 milhões de ienes (21 milhões de reais) após cancelar a produção de Tokyo Babylon 2021.

Segundo os arquivos, o estúdio concordou em produzir a série com a King Records e produziu 13 episódios até novembro de 2020, e deveria receber 314,6 milhões de ienes em parcelas entre dezembro de 2020 e agosto deste ano. A série estaria programada para estrear em abril deste ano.

Mas o GoHands alega que só uma foi paga uma parte e o contrato foi cancelado uniteralmente em janeiro. O estúdio está processando em busca dos 281,6 milhões restantes e também mais 171,82 milhões pelos episódios 14 a 21, que havia sido acordada, embora sem contrato formal ainda.

O advogado do GoHands alega que o estúdio, com estrutura muito menor que a King Records, estava em processo de fazer correções conforme exigido quando o animê foi cancelado. Ele também alega que não há violação de direitos autorais entre as imagens e os originais, apenas o uso de referências.

Entenda o caso

Quando pôsteres e ilustrações promocionais do animê começaram a sair, fãs notaram similaridades entre Hokuto Sumeragi, a irmã do protagonista, e uma imagem promocional do grupo de kpop Red Velvet. Também havia semelhanças inegáveis entre o protagonista Subaru e um boneco da marca Volks.

Dada a repercussão, o comitê de produção admitiu que os processos não foram seguidos corretamente, pedindo desculpas pelo erro, além de anunciar a criação um comitê específico para lidar com questões de direitos autorais – provavelmente foi esse comitê que identificou novos plágios. Todos os materiais promocionais da série divulgados até então foram retirados do ar e a estreia acabou adiada.

Por fim, a produção do animê foi cancelada. Na época, foi anunciado que um novo projeto viria com um novo time, mas nada mais foi informado. Nunca foi explicitamente mencionada a quebra de contrato com o estúdio mas imagina-se ser a equipe do GoHands a responsável pelos plágios.


Fonte: Asahi e ANN


Subaru Sumeragi sorrindo em arte de 1991.

Tokyo Babylon é uma obra do CLAMP originalmente publicada de 1990 a 1993 na revista Wings, da editora Shinshokan, com 7 volumes compilados. A JBC publicou a obra no Brasil em 2005, seguindo o mesmo formato da edição japonesa. Entre 1992 e 1994, foram lançados 2 episódios OVA inspirados na série, produzidos pelo estúdio Madhouse.

A história conta sobre Hokuto e Subaru, da família Sumeragi, e Seishirou Sakurazuka. Subaru vai se tornar o futuro chefe da família, praticante de onmyoudou, sendo um mago poderoso. Ele vive, temporariamente, em Tóquio com sua irmã gêmea Hokuto, onde resolve vários casos misteriosos. Seishirou, veterinário e amigo dos dois, passa a ajudar Subaru a cumprir suas tarefas.

Como o irmão acaba tendo muitas dificuldades em Tóquio, Hokuto espera que, se ele tiver sentimentos por Seishirou, ele conseguiria lidar melhor com tudo. A obra é conhecida pelo final trágico, ao qual o mangá X/1999 dá sequência.

Publicidade
close