Imagem: Logo da Rede Manchete.

Morre Pedro Jack Kapeller, ex-diretor da extinta Rede Manchete, aos 83 anos

Sobrinho de Adolpho Bloch, e popularmente conhecido como Jaquito, comandou os últimos anos da emissora carioca, que se tornou referência em exibição de séries japonesas na TV brasileira.

Morreu neste sábado (7) o empresário Pedro Jack Kapeller, popularmente conhecido como Jaquito, aos 83 anos, vítima de ataque cardíaco em sua casa, no Rio de Janeiro. A notícia foi divulgada pela imprensa nesta segunda-feira (9). Jaquito era vice-diretor das empresas que formavam o Grupo Bloch e assumiu o lugar de seu tio, Adolpho Bloch, após sua morte em novembro de 1995. Dentre as empresas estava a extinta Rede Manchete, que até hoje é uma referência em exibição de séries japonesas na TV brasileira.

Imagem: Foto de Pedro Jack Kapeller.
Pedro Jack Kapeller | Foto: Divulgação

A Manchete foi inaugurada na noite do dia 5 de junho de 1983 e já nos primeiros dias contou com os animês Pirata do Espaço, D’artagnan e os Três Mosqueteiros, Super Aventuras, Patrulha Estelar e Don Drácula. Jaquito assumiu a emissora em 1995, que na ocasião tinha o animê Os Cavaleiros do Zodíaco como carro-chefe da programação infanto-juvenil – também formada pelas séries tokusatsu Winspector, Solbrain, Patrine e Kamen Rider Black RX.

Em 1999, quando a Manchete já estava prestes a falir – em virtudes de dívidas com o INSS, a Embratel, entre outras -, Jaquito tentou vendê-la. Inicialmente firmou uma parceria com a Igreja Renascer, mas tal durou cerca de 40 dias, por descumprimento por parte dos religiosos que não pagaram a primeira parcela do valor estipulado. Jaquito finalmente conseguiu vender a emissora para o grupo Tele TV, do empresário Amilcare Dallevo, em 9 de maio daquele ano. Em tempo, a Manchete exibia as reprises dos animês Shurato e Yu Yu Hakusho e das séries tokusatsu Jiraiya e Maskman. Todas elas foram exibidas durante a fase experimental da RedeTV! até 31 de outubro do mesmo ano, exatos 15 dias antes da inauguração oficial.

Curiosamente, Jaquito morreu às vésperas do aniversário de 23 anos da extinção da Manchete – oficializada em 10 de maio de 1999, data em que o extinto Ministério das Comunicações recebeu os termos do contrato de compra e venda da emissora, além do pedido de transferência direta do controle para a TeleTV.

Após a falência da Manchete, Jaquito continuou no comando da Bloch Som e Imagem, que detém os direitos das produções da emissora datadas a partir de 1995. Além disso, ele ainda era gerente administrador da Rádio Manchete, cuja programação é composta, atualmente, por clássicos da música gospel e, curiosamente, utiliza um logo similar à extinta Revista Manchete.

Deixamos aqui os nossos sentimentos.


Fonte: Na Telinha

Publicidade
close