Imagem: Geisha em trailer de 'Kimetsu'.

2ª temporada de ‘Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba’ causa preocupação em pais japoneses

Nova temporada causa polêmica por se passar em bairro onde funcionavam bordéis em Tóquio.

O anúncio da segunda temporada de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba deixou as crianças japonesas extremamente animadas. Já alguns pais, por outro lado, ficaram preocupados com alguns “problemas”.

A polêmica parece ser devido à ambientação dos novos episódios: a temporada se passa em um yuukaku (“distritos de diversão”), como eram chamados os bairros onde prostitutas e bordéis atuavam com permissão legal – o termo geralmente se refere ao extinto distrito Yoshiwara, em Tóquio, como é o caso da série, embora outros distritos também existissem em outras cidades.

Imagem: Pôster promocional da nova temporada de 'Demon Slayer'.
Divulgação: Ufotable.

Em contraste, havia os okabasho (o termo significaria algo como “lugar de fora”), com atuação desregulamentada, ilegal.

Alguns pais, principalmente na internet, se mostraram receosos com isso. Segundo matéria do Livedoor News, a preocupação já existia, considerando a trama do mangá, mas o anúncio tornou a discussão mais vocal.

A questão parece girar em torno de yuukaku ser supostamente um assunto muito maduro e pesado para crianças, além de um medo de “romantização” desses distritos.

Mas outros apontam que esses locais realmente existiram, sendo esquisito fingir que nunca estiveram lá… ou então mangás infantis não poderiam mais abordar assuntos reais.

O argumento aqui é que essa é uma oportunidade para ensinar um pouco de História aos espectadores mais jovens.

A classificação indicativa do filme Mugen Train é a partir de 12 anos no Japão, crianças que ainda não atingiram essa idade precisam estar acompanhada de pais ou responsáveis – a série deve ter esse público como alvo e há uma responsabilidade dos adultos em deixar crianças mais novas assistirem.

Ainda de acordo com a matéria, alguns também apontam que o mangá não entra muito no mérito do que acontecia nesses lugares, então não haveria necessidade de explicar em muitos detalhes. Certos pais ainda alegam dar explicações um tanto genéricas aos filhos, dizendo coisas como “era um lugar onde mulheres bonitas trabalhavam”.

Os yuukaku tecnicamente surgiram no período Azuchi-Momoyama (1573-1603), mas o imaginário social talvez lembre mais deles como uma herança do período Edo (1603-1868) – os bordéis permaneceram legalizados no país até os anos 1950, passando por Meiji (1868-1912), Taisho (1912-1926) e um pedaço de Showa (1926-1989). O mais famoso distrito, Yoshiwara, foi “fundado” em 1617.

Em 1946, o nome “yuukaku” foi abolido quando os Aliados, durante a ocupação no Japão capitaneada pelos EUA, ordenaram o fim do sistema de prostituição. Assim, essas regiões foram renomeadas como akasen (“linha vermelha”) e os bordéis se transformaram em “cafés” ou “ryotei” (“restaurante japonês de luxo”).

Posteriormente, uma lei anti-prostituição foi aprovada em 1956 e implementada em 1958. Sem criminalizar todos os tipos de prostituição, a nova legistação causou o fim desses distritos ao tornar ilegal a venda de sexo a um “desconhecido”.


Fonte: LivedoorNews


A trama de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba se passa no Japão do período Taisho e apresenta a história de Tanjiro Kamado, um garoto de bom coração que vendia carvão para sobreviver, até o dia que seus pais foram cruelmente assassinados por um demônio, que também amaldiçoou sua irmã mais nova, transformando-a num demônio. Embora devastado com tudo que lhe aconteceu, Tanjiro decide tornar-se um “matador de demônios,” procurando aquele que massacrou sua família, enquanto também tenta encontrar um meio para que sua irmã volte a ser humana novamente.

O mangá de autoria de Koyoharu Gotoge foi publicado na Shonen Jump entre 2016 e 2020, rendendo 23 volumes encadernados no total. A Panini publica o mangá no Brasil. A série foi um fenômeno de vendas em 2019 e já possui mais de 100 milhões de cópias em circulação.

A versão em animê tem produção do estúdio Ufotable, e é exibida oficialmente no Brasil via streaming pela Crunchyroll e pela Funimation, com legendas em português.

O filme continuando a série estreou em 16 de outubro no Japão e segue com bilheteria recorde, mas talvez Gotoge não aproveite tanto.

Publicidade
close