Imagem: Tanjiro, de Demon Slayer, descendo a espada em alguém.

‘Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba’ ultrapassa 150 milhões de cópias em circulação

‘Kimetsu’ segue como fenômeno no Japão!

Foi divulgado hoje (14) que os 23 volumes do mangá de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba chegaram em 150 milhões de cópias em circulação. O último número divulgado era 120 milhões, em novembro.

Em janeiro deste ano, 3 volumes (1, 7 e 8) venderam individualmente mais de 5 milhões. A série foi, de longe, a mais vendida entre os mangás ao longo de 2020, também segundo a Oricon.

Duas novels oficiais de Kimetsu também ficaram entre os livros mais vendidos ano passado, sendo a primeira vez que uma franquia ocupa a primeira posição nesses dois rankings de uma vez só em toda a história das medições da Oricon. A série segue aparecendo bastante nos rankings semanais.

Uma segunda temporada do animê foi anunciada hoje também. A 1ª temporada deve chegar em breve dublada por aqui.


Fonte: Natalie


A trama de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba se passa no Japão do período Taisho e apresenta a história de Tanjiro Kamado, um garoto de bom coração que vendia carvão para sobreviver, até o dia que seus pais foram cruelmente assassinados por um demônio, que também amaldiçoou sua irmã mais nova, transformando-a num demônio. Embora devastado com tudo que lhe aconteceu, Tanjiro decide tornar-se um “matador de demônios,” procurando aquele que massacrou sua família, enquanto também tenta encontrar um meio para que sua irmã volte a ser humana novamente.

O mangá de autoria de Koyoharu Gotoge foi publicado na Shonen Jump entre 2016 e 2020, rendendo 23 volumes encadernados no total. A Panini publica o mangá no Brasil. A série foi um fenômeno de vendas em 2019 e já possui mais de 100 milhões de cópias em circulação.

A versão em animê tem produção do estúdio Ufotable, e é exibida oficialmente no Brasil via streaming pela Crunchyroll e pela Funimation, com legendas em português.

O filme continuando a série estreou em 16 de outubro no Japão e segue com bilheteria recorde, mas talvez Gotoge não aproveite tanto.

Publicidade
close