Coluna do Daileon#107 | ULTRAMAN: Segunda temporada apresenta contraparte de Taro

Animê exclusivo da Netflix voltará com novos episódios em breve.

Saudações inca-venusianas! (Awika!) Vem aí a segunda temporada de ULTRAMAN; saiba quem fará a voz de Taro. Ator de Metalder é a nova atração do Meet & Greet Online do Alma Tokusatsu. E no dia do Ultraman, a Coluna do Daileon apresenta um Top 10 com indicações para iniciantes na franquia. As principais notícias sobre a semana que passou no universo tokusatsu você confere aqui e agora. VEEEEEEEEENHA!!!


A saga de Taro

Tatsushisa Suzuki, vocalista da banda Oldcodex, será a voz de Taro | Divulação/Netflix

A segunda temporada do animê ULTRAMAN está a caminho. Ainda sem data de lançamento na Netflix, Tatsushisa Suzuki, ator e vocalista da banda Oldcodex, foi anunciado como a voz de Ultraman Taro. No mangá, Kotaro Higashi é um fotógrafo que acidentalmente ganha superpoderes após uma briga com alienígenas, levando-o a criar sua própria versão caseira do traje tradicional do Ultraman Taro antes de receber uma versão atualizada. Assista o teaser:

Kotaro Higashi, o antigo hospedeiro de Ultraman Taro na série de 1973 | Divulgação

Higashi é a contraparte do herói-título da série de 1973, também conhecido como o sexto irmão Ultra. Taro é filho legítimo do casal Pai e Mãe de Ultra. Em missão na Terra, Taro se une ao humano Kotaro Higashi, um jovem que tem o sonho de se tornar um campeão de boxe e se torna um oficial da equipe anti-monstros ZAT (Zariba of All Territory). No fim da série, Higashi decide seguir seu sonho, deixa de ser hospedeiro de Taro e nunca mais apareceu para lutar ao lado do herói gigante.

A banda Oldcodex, conhecida pelos fãs de animê por interpretar temas de Free! e Kuroko no Basket, já havia interpretado “Sight Over The Battle“, tema de encerramento da primeira temporada de ULTRAMAN. É possível que o conjunto interprete algum novo tema para a segunda temporada.

ULTRAMAN é uma atualização/sequência do clássico herói de 1966, com história baseada no mangá homônimo de Eiichi Shimizu e Tomohiro Shimoguchi (publicado por aqui também pela JBC). Na história, o protagonista é Shinjiro Hayata, filho único de Shin Hayata, o hospedeiro do gigante prateado. O adolescente descobre que possui o misterioso fator Ultra, que lhe dá estranhos poderes. Assim, passa a vestir uma armadura baseada na forma heroica de seu pai e passa a ser um novo Ultraman.

A primeira temporada estreou no ano passado e está disponível pela Netflix com opção de áudio original e também dublagem em português. Leia nossa crítica da primeira temporada de ULTRAMAN.


Pior audiência!

A trinca de clássicos do tokusatsu na Band teve sua pior audiência neste domingo (5). Changeman e Jiraiya registraram 1 ponto de audiência cada, enquanto Jaspion obteve 1.2 ponto. A grande “vilã” foi a Fórmula 1, que retomou a temporada após sofrer hiato, por causa da pandemia da COVID-19. A audiência do mundial de automobilismo variou entre 7 e 8 pontos na Globo.

Pra se ter uma ideia, as séries não ficaram no Top 5 dos trending topics do Twitter. Haviam várias citações dos pilotos da F1.

Sinal de que as coisas estão voltando ao normal.


Cortes desnecessários

Quem assistiu aos episódios 31 e 32 de Jaspion na Band, provavelmente reparou nos pequenos cortes que foram feitos em algumas transições de cenas. Isso ficou mais perceptível nas execuções das BGMs da série, que ficavam saltando de vez em quando. A parte mais prejudicada foi a despedida de Boomerman. O momento em que o delegado da Interpol dizia que muitos humanos “entregam a alma a Satan Goss” e que ele queria “proteger essas pessoas da ação diabólica” foi limado. Não ficou nada legal. :/


Ikaru!

Organizado pelo Alma Tokusatsu, o encontro virtual de fãs com atores de séries japonesas terá mais uma surpresa inédita. Depois da aparição de Kiyomi Tsukada (saiba mais aqui), a Anri de Jaspion, o Meet & Greet Online deste mês contará com a presença de Seiko Senoo, ator principal da série Metalder – O Homem Máquina. Leia mais aqui.


Arashi kenzan!

Como especulado aqui na Coluna, Henshin Ninja Arashi estreou na programação regular do Toei Tokusatsu World Official. Como os dois primeiros episódios (legendados em inglês) estão no ar desde 5 de abril – data da inauguração do canal no YouTube, foram lançados os episódios 3 e 4 nesta segunda (6).

Clássico do mangaká Shotaro Ishinomori, Arashi (que é contemporâneo de Lion Man, da extinta P Productions) entra no lugar de Suki! Suki!! Majo Sensei, finalizada na semana passada pelo canal. A série foi ao ar originalmente nas noites de sexta-feira da NET (atual TV Asahi), entre 7 de abril de 1972 e 23 de fevereiro de 1973. Totalizando 47 episódios. Pelos cálculos, o último episódio será postado no dia 7 de dezembro.

Inclusive, Arashi foi uma das indicações no Top 10 da Coluna. Leia mais aqui.


Revival da semana

Como (também) especulado aqui na Coluna, O Misterioso Cometa Twifon, o episódio 25 de Ultraman foi lançado na manhã desta segunda (6), no canal da Tsuburaya no YouTube, com legendas em inglês. O monstro do episódio foi o Gigass, que apareceu no episódio passado de Ultraman Z (Zett). Também apareceram no episódio clássico os kaijus Dorako e Red King.

Palpite: Telesdon será o monstro do episódio de hoje de Z. Portanto, o revival da próxima segunda (13) poderá ser o episódio 22 de Ultraman, intitulado no Brasil como A Destruição da Terra. Anota aí.


V Together!

Os dois primeiros episódios do animê mecha Chodenji Machine Voltes V (de 1977) foram lançados neste fim de semana pelo canal Bandai Spirits no YouTube. Esta foi a segunda série da Robot Romance Trilogy, do finado diretor Tadao Nagahama, formada junto com Combattler V (de 1976) e Daimos (de 1978). As exibições preparam terreno para o lançamento do DX SOUL OF CHOGOKIN VOLT IN BOX VOLTES V, programado para dezembro.

Totalizando 40 episódios exibidos aos sábados pela TV Asahi, entre 4 de junho de 1977 e 25 de março de 1978, Voltes V conta a saga de cinco jovens que pilotam um robô gigante (mecha) para enfrentar a horda de monstros do violento Império Boazan. O animê é uma criação da equipe de roteiristas Saburo Hatte (a mesma das franquias Super Sentai e Metal Hero) e seus temas principais foram interpretados por Mitsuko Horie (abertura) e Ichiro Mizuki (encerramento).

No Brasil, Voltes V foi lançado em VHS nos anos 1980 pela Brazil Home Video (atual Sato Company) e chegou a ser exibido na extinta Rede Manchete na década de 1990. Só que a versão que conhecemos era um resumo de alguns episódios e não tinha desfecho.

Atualmente dois episódios iniciais estão disponíveis no canal Toei Tokusatsu, também com legendas em inglês. Assista:


31 de julho

Esta é a data do lançamento do teaser trailer de Godzilla vs. Kong. O filme, que estrearia em novembro deste ano, foi adiado para 21 de maio de 2021, por causa da pandemia do novo coronavírus.


Ultraman Day

Hoje, a partir das 11h (horário de Brasilia), acontece o evento online Ultraman Day. O evento conta com as presenças de Bin Furuya (dublê do primeiro Ultraman e intérprete do oficial Amagi em Ultra Seven), Kiyotaka Taguchi (diretor de Ultraman Z), August Ragone (autor da biografia Eiji Tsuburaya: Master of Monsters), entre outros. A programação também tem espaço dedicado para divulgar as coleções de DVD/Blu-ray de séries e filmes da franquia, o novo game Ultraman Kaiju Kombat e a série de quadrinhos The Rise of Ultraman, que será lançada em setembro.

Veja a programação completa aqui.


Vitória judicial

A Tsuburaya venceu o estúdio BlueArc Animation na justiça. A empresa de Xangai, na China, havia lançado uma série chamada Dragon Force. Os títulos são: o filme Dragon Force: So Long, Ultraman (de 2017), a série televisiva Dragon Force 2 (de 2018) e o filme Dragon Force: Rise of Ultraman (de 2019). A inclusão do maior herói do tokusatsu não teve sequer a autorização da produtora Tsuburaya, que é a legítima detentora da franquia.


Novas datas

Ultraman Taiga The Movie: New Generation Climax finalmente vai estrear, nos cinemas japoneses, em 7 de agosto. Originalmente estrearia em 6 de março, mas foi adiado por causa da pandemia da COVID-19. Antes tarde do que nunca!

Enquanto isso, Kamen Rider Den-O: Pretty Den-O foi adiado para 14 de agosto. A nova aventura de Momotaros e cia estava previsto para 24 de abril deste ano.

A Toei também anunciou a possibilidade de cancelar ou adiar o lançamento, caso o Japão entre novamente em estado de emergência, em razão da pandemia.


Coleções adiadas

O lançamento do segundo volume do Blu-ray Collection de Kamen Rider Zero-One foi remarcado para 11 de novembro. Aconteceria em 5 de agosto e a data sofreu alteração por causa da pandemia. O material conterá os episódios 17 ao 32.

Já o primeiro volume do BD de Kiramager será lançado em 14 de outubro, contendo os primeiros 11 episódios.


Stronger

A Toei Video vai lançar Kamen Rider Stronger (de 1975) em dois volumes de Blu-ray. O primeiro em 14 de outubro e o segundo em 2 de dezembro. Este último conterá o especial All Together! Seven Kamen Riders!!, exibido pela emissora japonesa TBS na manhã de 3 de janeiro de 1976 – uma semana após o fim da série. Veja as capas na galeria:


Final dublado

Em primeira mão nas redes sociais do canal TokuDoc, do camarada Danilo Modolo, saiu a informação de que o episódio 51 de Kamen Rider Black – mais conhecido como o final que não foi exibido na extinta Rede Manchete, finalmente está sendo dublado.

O estúdio responsável pelos trabalhos é a Centauro, o mesmo de Ryukendo, com direção de Nelson Machado (o Quico de Chaves e Dan Shimaru nos primeiros episódios do Lion Man laranja).

Élcio Sodré e Francisco Bretas reprisam os papéis de Issamu Minami/Black e Shadow Moon, respectivamente.


Falando nisso…

Nesta segunda (6) eu participei de mais uma live do canal Resistência Tokusatsu, comandado pelo camarada Bone Lopes. Desta vez falando sobre ele: Kamen Rider Black. Junto com a gente estiveram também Thiago AP, integrante do grupo e Dan Higa, do canal Banchou TV. O debate durou um pouco mais de 2h30 com discussões sobre a origem, os bastidores, o sucesso e o legado desta grande obra do mangaká Shotaro Ishinomori.

Pra quem ainda não conhece o canal, semanalmente acontece debates e entrevistas com grandes nomes que fazem parte da história do tokusatsu no Brasil. Mais surpresas surgirão por lá nas próximas semanas. Fiquem ligados.


JBox Live

E no JBox TV, nosso canal no YouTube, tem mais uma live garantida. Neste domingo (12), a partir das 14h, teremos um bate-papo com Ricardo Cruz, membro do supergrupo JAM Project. Ele vai bater um papo com a gente sobre sua experiência no mercado de animesongs. Não perca! Se inscreva, ative as notificações, curta e compartilhe nossos vídeos. :)


R.I.P. Dozer

Morreu nesta quinta (9), aos 91 anos, o dublador Araken Saldanha, a voz de Cassius e especialmente do Mestre Ancião em Os Cavaleiros do Zodíaco. Em 1995, no auge do sucesso do animê pela extinta Rede Manchete, ele também havia dublado Soldozer, o robô policial na série tokusatsu Solbrain.

Descanse em paz, Mestre!


Top 10

Ultraman – por onde começar?

De vez em quando me deparo com a seguinte pergunta: qual Ultraman devo assistir primeiro? Qualquer série que você escolher, independente da época de produção, já é um bom começo. Sempre vai ter alguma ou outra pra você ser instigado a acompanhar outras séries da franquia.

E como hoje é o Dia do Ultraman, resolvi indicar 10 opções que podem servir como portas de entrada para embarcar nesse maravilhoso universo. Vamos juntos rumo à Nebulosa M-78? A viagem pelo multiverso começa a partir de agora. Schwatch!!!

 

10) Ultraman (1966)

A série original é uma boa opção para quem quer seguir a cronologia. Vários dos monstros que apareceram em Ultraman já estiveram em outras produções. Por lá apareceram pela primeira vez os kaijus Gomora, Neronga, Red King, além de aliens como Baltan, Zetton, Zarab e Mefilas. Ultraman é uma série bem legal e despretensiosa. Pode ser que no início você tenha estranheza com os efeitos especiais da época, mas deixe-se levar pela aventura. Isso é o que importa e garanto que não irá se arrepender. É um clássico obrigatório.

 

9) Ultraman Ace (1972)

Além de apresentar o casal Seiji Hokuto e Yuko Minami como hospedeiros de um mesmo herói, Ultraman Ace foi a série que ajudou a definir o conceito da Irmandade Ultra. Zoffy, Ultraman, Ultraseven e Ultraman Jack apareciam com mais frequência para ajudar o irmão caçula. A produção já era praticamente uma concorrente de Kamen Rider, que já passava de um ano de transmissão na TV japonesa. Ace foi um diferencial por ter um inimigo fixo, Yapool, que antagonizou episódios sombrios. Era o início de uma fase mais intensa na mitologia. Uma pena que jamais passou na era de ouro da TV brasileira.

 

8) Ultra Seven (1967)

Apesar de ser uma produção que já passa de 50 anos, Ultra Seven continua atual em vários aspectos. A atemporalidade é a sua principal marca. Parte dessa idealização se deve ao roteirista Tetsuo Kinjo (1938~1976), que criou toda uma atmosfera sombria que contava as aventuras com muita ficção-científica. Foi dele a ideia da criação dos monstros de cápsula, conceito que acabou sendo usado mais tarde em Pokémon. Shozo Uehara, roteirista de Jaspion que faleceu no começo do ano, também assinou alguns episódios. Até hoje Seven é cultuado na esfera da cultura pop japonesa e, sem sombra de dúvidas, vai atravessar gerações futuras.

 

7) O Regresso de Ultraman (1971)

Embora o título seja de um projeto descartado (de uma continuação da série original), este é um segundo Ultraman (batizado de Ultraman Jack em 1984) que veio para proteger a Terra de monstros gigantes e alienígenas. A diferença de O Regresso de Ultraman é que os episódios são mais sérios, dramáticos e bem mais violentos. Foi a primeira produção que fez conexão com séries anteriores, com destaque para as participações de Man e Seven, salvando Jack do perigo. A série também introduz Os Cinco Mandamentos Ultra, que seriam citados novamente em outras produções.

 

6) Ultraman Leo (1974)

De longe, essa é a melhor série da era de ouro dos Ultras. Ultraman Leo é praticamente uma continuação de Ultra Seven, pois Dan Moroboshi aparece como capitão da MAC. Só que o herói perdeu seus poderes e ficou manco após enfrentar os impiedosos Alien Magma e os Irmãos Giras. Leo foi uma série sombria e tinha uma carga dramática intensa que predominava na maioria dos episódios. Os irmãos Ultra também apareceram em alguns episódios, além de Anne Yuri, a antiga parceira de Moroboshi nos dias do Esquadrão Ultra. Também foi aqui onde apareceu pela primeira vez Ultraman King, o guerreiro supremo da Terra da Luz.

 

5) Ultraman Tiga (1996)

A primeira série Ultra da era Heisei e marcou os 30 anos da franquia. Ultraman Tiga não tem ligação com as séries anteriores, uma vez que se passa numa cronologia futurística. Porém, o primeiro Ultraman foi homenageado no episódio 49 e também apareceu (ou pelo menos era uma representação dele) para dar uma mãozinha ao então novo herói. Com episódios dramáticos (alguns deles com finais trágicos), Tiga foi a série que definiu os Ultras como “gigantes de luz” e abandonou o conceito que dava a entender de que eles eram ciborgues ou algo do tipo. Tivemos a sorte de ver essa maravilhosa série em 2000, pela Record e em 2005, pela Rede 21. Além de seus filmes que foram lançados em DVD. Mas infelizmente o herói foi injustiçado por aqui. Não teve o tratamento que merecia e os planos de abrir um novo filão de Ultras – numa era pós-Rede Manchete – foi para o ralo.

 

4) Ultraman Mebius (2006)

Foi a série comemorativa de 40 anos de Ultraman. Foi em Mebius onde as séries da era Showa voltaram a ter conexão (e seus respectivos períodos foram redefinidos). Treinado por Zoffy e Ultraman Taro, Mebius foi enviado pelo Pai de Ultra para proteger a Terra, que não sofria ataques de monstros gigantes por 25 anos, desde o final de Ultraman 80 (Eighty). Durante a série, Man, Seven, Jack e Ace retornam para lutar contra Yapool. Mas essa foi uma aventura que foi contada no filme Ultraman Mebius & Ulltraman Brothers, lançado direto-para-vídeo no Brasil, em 2011, pela Focus Filmes. Todos esses Ultras antigos, além de Leo e Eighty, aparecem na série de TV. Desde então, a relevância dos heróis ganhou um novo significado, popularmente falando.

 

3) ULTRAMAN (2019)

Sim, o animê com o selo exclusivo da Netflix também é de extrema importância para quem quer embarcar na franquia. Baseada no mangá da dupla Eiichi Shimizu e Tomohiro Shimoguchi (ambos de Linebarrels of Iron), a trama se passa num universo alternativo onde apenas o primeiro Ultraman veio para a Terra. Shinjiro, filho de Shin Hayata, o hospedeiro do gigante prateado, possui poderes especiais e assume o codinome do lendário herói para enfrentar alienígenas que pretendem dominar a Terra. A narrativa é bem diferente das séries tokusatsu e mostra os personagens em tamanho humano. Heróis como Dan Moroboshi (Seven) e Seiji Hokuto (Ace) ganham contrapartes bem interessantes nesta série. Além do animê, que terá segunda temporada (como citado na primeira nota desta coluna), recomendo fortemente a leitura do mangá publicado pela Editora JBC.

 

2) Ultraman Orb (2016)

Série comemorativa de 50 anos de Ultraman. Aqui houve uma quebra de padrão: não tivemos uma equipe anti-monstros. Por outro lado, tivemos uma equipe improvisada, a SSP (Something Search People), uma homenagem a SSSP, como é referida a Patrulha Científica na versão original de Ultraman. Orb e legal em vários sentidos. Gai Kurenai, o disfarce humano do herói e seus amigos da Terra são muito carismáticos. Jugglus Juggler é um dos maiores vilões da franquia e sua rivalidade com Gai rendeu um spin-off chamado Ultraman Orb: The Origin Saga, que é um prólogo da saga principal. Todos os 25 episódios estão disponíveis na Crunchyroll e no Prime Video.

 

1) Ultraman Nexus (2004)

Nexus foi a segunda e última produção do Ultra N Project, da Tsuburaya, no qual surgiu o filme Ultraman: The Next (lançado em vídeo no Brasil pela Impact Records e pela Focus Filmes). A ideia era de reinventar Ultraman para a então nova geração, mas acabou não dando muito certo, em termos de retorno. Apesar dos pesares, Nexus foi uma ótima série e muito diferente das anteriores. O hospedeiro do herói gigante era coadjuvante, enquanto que Kazuki Kumon, um agente da equipe Night Raiders, enfrentava seus próprios demônio para lutar contra os gigantes das trevas e uma grande conspiração. De longe, foi a melhor série Ultra, pois ainda tinha uma trama mais carregada, sombria, envolvente e cheia de surpresas. Digna de deixar o espectador na ponta do sofá e roendo as unhas. Se você manja ou está aprendendo inglês, todos os 37 episódios de Ultraman Nexus ainda podem ser assistidos na Crunchyroll. Aproveite!

Publicidade
close