Imagem: O rosto da Bruxa da Protelação.

Resenha | Tropical-Rouge! Precure: O passado da Bruxa da Protelação | Episódios 42 a 44

Em seus episódios finais, ‘Tropical-Rouge! Precure’ resolve se voltar para o passado da grande vilã da temporada.

Uma situação muito comum em Precure é o vilão principal da temporada atingir (ou quase) seu objetivo principal e as heroínas da temporada precisarem invadir a fortaleza do antagonista para enfrentá-lo cara a cara.

O episódio de número 42 de Tropical-Rouge! teve justamente como foco criar a situação para que isso acontecesse. Na verdade, os três episódios mais recentes da temporada funcionam bastante como episódios de transição para a batalha final da série: eles vão criando uma tensão que só aumenta conforme segredos são revelados e então desembocam na fatídica última luta.

Entretanto, antes de falar disso, vamos entender como a situação se desenvolveu!

Na barriga da baleia

Imagem: O mordomo de Tropical Rouge.
Divulgação: Toei/Crunchyroll.

Durante o episódio 42, a vida das precures parecia perfeita: a maior parte de seus problemas havia se resolvido e elas preparavam o festival escolar para finalização do ano letivo. Só que tudo mudou quando o Mordomo da Bruxa da Protelação resolveu atacar a cidade de Aozora com um poderoso Kero-Não em forma de baleia.

Se um Kero-Não tão grande já não fosse um problema, a situação se complica no momento em que o Mordomo acaba danificando o frasco mágico de Laura, impedindo que ela pudesse recuperar a motivação roubada pelo monstro. Além disso, tal qual Pinóquio, Jonas e outros heróis que enfrentaram baleias, Manatsu acaba sendo engolida pelo gigantesco animal durante a batalha e levada para a mansão da Bruxa da Protelação.

Talvez o mais interessante do episódio nem seja os seus acontecimentos em si – a essa altura do campeonato, já era de se esperar que algo assim ocorresse – mas a data em que o capítulo foi divulgado, sendo o último episódio de 2021. Claro, isso aumenta a ansiedade para saber a continuação da história, ainda mais quando Manatsu, presa dentro da baleia, recebe a visita da Precure Lendária (que mais tarde descobrimos se chamar Cure Oasis).

A mansão da bruxa

Imagem: Rainha do Grand Ocean a a bruxa.
Divulgação: Toei/Crunchyroll.

O capítulo 43 seguiu o plano das precures para salvar Manatsu da mansão da Bruxa, enquanto Laura visitou a Rainha do Grand Ocean para consertar seu frasco mágico.

A parte mais interessante com certeza foi um flashback da Rainha que amarrou diversas pontas soltas de eventos passados dessa temporada. Ficamos descobrindo mais sobre a Urna do Tolo, sobre o cálice com poder da motivação e até mesmo descobrimos que, no passado, a Rainha tentou lutar contra um poderoso inimigo que desejava abrir a Urna do Tolo em busca da vida eterna.

Enquanto Laura descobria esses detalhes do passado, Manatsu seguia pela mansão da Bruxa com uma única missão: convencer a vilã a parar de roubar a motivação dos outros através do diálogo. De fato, é muito fofo e totalmente compreensível ver Manatsu agindo dessa forma. Ela sempre enxerga o melhor dos outros e tentar resolver uma situação que coloca o destino do mundo apenas na conversa é algo bem plausível por parte dessa personagem.

As outras precures, por sua vez, não tiveram tanto tempo de brilhar e fizeram apenas aquilo que elas fizeram a maior parte desta temporada: deixaram Manatsu e Laura comandar o episódio. Ao final, o grupo todo se reuniu em frente à Bruxa. Nesse momento, Laura parecia ter algo importante para tratar com a vilã, mas o Mordomo a impediu transformando Chongire em um poderoso Kero-Não.

Vale ainda citar que, apesar do episódio anterior ter terminado com Manatsu recebendo uma visita de Cure Oasis, o segredo que envolvia a Precure Lendária e a Bruxa da Protelação só foi exposto no episódio seguinte.

Cure Oasis e a Bruxa

Imagem: A Cure Oásis.
Divulgação: Toei/Crunchyroll.

O mistério em torno da Bruxa da Protelação finalmente foi revelado. O grande foco deste episódio de número 44 foi a história de como a Bruxa se tornou amiga da Cure Oasis no passado.

Tudo aconteceu de forma rápida: há cerca de um século atrás, a Bruxa tentou destruir uma cidade humana, mas o povo do local conseguiu deter a vilã. Machucada, ela se escondeu em uma caverna próxima ao mar, onde foi encontrada por uma menina.

Logo, ela e a menina viraram amigas, mas quando a Bruxa retornou ao mundo humano para destruí-lo, descobriu que sua nova amiga havia se tornado uma Precure, cuja missão era impedir a Bruxa. A batalha entre ambas durou um bom tempo, até que a Bruxa se cansou e começou a protelar o embate a ponto de se esquecer a motivação de tal protelação.

Desse modo, o episódio deixa bem exposto que o motivo da protelação da Bruxa era que ela simplesmente não queria ter de lutar contra a sua amiga e talvez nem destruir o mundo – ao contrário do que o Mordomo parecia querer desde o início da série.

Assim, após purificarem o Chongire Kero-Não, as precures não derrotam a Bruxa da Protelação através da força, mas sim fazendo-a lembrar do sentimento de amizade que ela compartilhou com Cure Oasis. Na realidade, o espírito da própria Precure Lendária surge em um momento especial para ajudar as heroínas a despertarem o bom sentimento no coração da vilã.

Realmente é bonito ver uma temporada de Precure em que a vilã principal não é vencida com um grande ataque especial e sim através do despertar de uma sentimento que a transforma. Só foi ruim notar que a série preferiu fazer com que a Bruxa virasse bolhas de sabão (ou seja, morresse) assim que desistiu de seu plano de destruição e não sofreu uma redenção completa.

A impressão que dá é que a “grande vilã” não poderia conviver em paz e harmonia com o restante das pessoas daquele universo marinho. Mesmo que ela sofresse uma transformação de caráter, ela precisa morrer de qualquer forma.

[Atenção, a partir daqui citarei eventos de outra série de Precure, Kira Kira Precure a La Mode. Por isso, caso não tenha visto essa série e não queira spoilers, pule esta parte]

No fim, como eu havia previsto, o grande inimigo final (ou quase) da temporada, vai mesmo ser o Mordomo. Como disse em artigos anteriores, é algo que me lembra muito o que foi feito com Elisio em Kira Kira Precure a La Mode (2017), que também se tornou o inimigo final da temporada. Só que Tropical-Rouge! não teve a mesma perspicácia da série de 2017.

Veja bem: Kira Kira criou todo um sub-arco para justificar as atitudes finais de Elísio, com ele inclusive sendo o vilão principal de uma boa leva de episódios. É possível entender o porquê ele age daquela forma no fim, mas o mesmo não acontece com o Mordomo.

O vilão de Tropical-Rouge! parece apenas querer destruir o mundo para agradar sua líder, a Bruxa, mas quando ela própria decide abandonar tal objetivo, o Mordomo continua com seu plano sem qualquer grande motivação.

Claro, ainda faltam dois episódios para finalizar essa temporada (assim como a revelação de quem era o vilão que atacou a Rainha do Grand Ocean há poucos anos no passado). A história do Mordomo pode sofrer uma reviravolta, mas por enquanto, ele apenas se mostrou um vilão fraco e sem o carisma de Elísio, Joker e outros grandes generais de temporadas passadas de Precure.

Onde assistir:


Tropical-Rouge! Precure é exibido pela Crunchyroll com legendas em português de forma simultânea com o calendário japonês. A empresa fornece ao JBox um acesso à plataforma. Confira as outras resenhas da série: episódios 1, 2-3, 4-5, 6-7, 8-10, 11-13, 14-16, 17-18, 19-21, 22-24, 25-27, 28-30, 31-33, 34-37, 38-41.


O JBox participa de parceria comercial com o JustWatch, podendo ganhar um valor em cima das compras realizadas a partir dos links do site. Contudo, o JBox não tem responsabilidade sobre possíveis erros presentes em recursos integrados ao site mas produzidos por terceiros.


O texto presente nesta resenha é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do site.

Onde assistir:

Publicidade
close